Início » Colunas » Coluna do Verchai » Cruzeiro luta por acesso com Ronaldo?

Cruzeiro luta por acesso com Ronaldo?

Fernando Verchai

A história de um dos maiores clubes do Brasil pode voltar a ser grandiosa depois de uma crise que permitiu a venda de 90% de seus direitos por “pechincha”?

em destaque a oficialização de ronaldo como sócio majoritário do Cruzeiro

Ronaldo é oficializado como sócio majoritário do Cruzeiro (Divulgação)

Ao longo dos anos, com muitas conquistas e títulos de relevância regional, nacional e até internacional, o Cruzeiro se colocou entre os maiores clubes do Brasil e até da América do Sul, e se orgulhava do fato de ser um dos poucos clubes do Brasil e do mundo (também são poucos) a nunca terem sido rebaixados para a segunda divisão do Campeonato Nacional. O Cruzeiro ainda ostenta marcas como a de ser o maior campeão de Minas Gerais, com 54 títulos estaduais, e o maior campeão da Copa do Brasil, com seis conquistas, sendo o único a ter vencido a competição duas vezes consecutivas. Além de tudo isso, o Cruzeiro também carrega em seu glorioso histórico quatro títulos do Campeonato Brasileiro, duas conquistas da Copa Libertadores da América e outras cinco conquistas internacionais, que não incluem o cobiçado troféu do Mundial de Clubes, talvez o único que falte no museu da Raposa. Fato é que todas estas glórias ficaram no passado, pois em 2019 o Cruzeiro passou por um momento que manchou a sua história e se tornou uma das maiores tragédias do futebol brasileiro. Em 2018 o Cruzeiro passava por um grande momento: ergueu o título do Campeonato Mineiro vencendo o maior rival, o Atlético, na final, e se sagrou único bicampeão (consecutivo) da Copa do Brasil, se tornando, também, o maior vencedor da competição. Em 2019, apesar do bom início com mais um título estadual e uma boa campanha na fase de grupos da Libertadores, o Cruzeiro ruiu em meio a uma investigação da Polícia Civil sobre transações irregulares e uso de empresas de fachada para ocultar crimes cometidos pela direção. Os jogadores passaram a receber os salários atrasados e muitas vezes incompletos, e um áudio vazado do maior nome do clube na época, o camisa 10 Thiago Neves, para o então gestor de futebol do Cruzeiro, o empresário e político Zezé Perrella, cobrando salário antes de uma partida decisiva para o clube escapar do rebaixamento, escandalizou ainda mais a situação do clube. Em meio a tudo isso, o Cruzeiro foi eliminado da Libertadores e da Copa do Brasil, e passou todo o Campeonato Brasileiro lutando na parte de baixo da tabela de classificação, até acabar rebaixado após uma sequência de cinco derrotas nas últimas rodadas. Desde então, com as punições da FIFA e uma crise financeira sem precedentes, o Cruzeiro mais se preocupou com a queda para a Série C do Campeonato Brasileiro do que efetivamente sonhou com a volta para a Série A. Em 2020 o Cruzeiro terminou a Série B na 11ª posição e no ano passado foi ainda pior, terminando na 14ª posição graças ao fôlego que ganhou com a chegada de Vanderlei Luxemburgo, que assumiu o time na zona de rebaixamento quando a competição já chegava na 16ª rodada. A reestruturação do Cruzeiro já parecia inviável, mas a compra de 90% das ações do clube (por 400 milhões de reais) pelo ex-jogador, Ronaldo Nazário, é como uma luz de esperança no fim de um túnel obscuro no qual a Raposa e seus torcedores se encontravam.

Sob nova direção, Cruzeiro inicia cortes de gastos e aposta em revitalização para conquistar o acesso de volta para a elite do futebol brasileiro

Ronaldo “Fenômeno” comprou a maior parte das ações do Cruzeiro no último dia 18 e desde então é o mandachuva do clube que o revelou como jogador profissional em 1993, ainda antes de completar 17 anos. Agora, aos 45 anos, Ronaldo tenta colocar as contas do clube em ordem para tentar levá-lo de volta à elite do futebol brasileiro e lá no futuro começar a lucrar com ele. Para tanto, como as dívidas são muitas, os gastos internos precisaram ser cortados e uma reformulação gigante (mais uma) começou a ser feita no Cruzeiro. O primeiro cortado foi Alexandre Mattos, que trabalhava na gestão do futebol, e o mais recente a ser desligado do clube foi o técnico Vanderlei Luxemburgo e sua comissão.

vanderlei luxemburgo durante treino do cruzeiro

Agora time de Ronaldo Fenômeno, Cruzeiro decide não renovar com o técnico Vanderlei Luxemburgo (Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro)

De acordo com reportagem da ESPN.com, a gestão de Ronaldo classificou estes e outros contratos como “impagáveis e irresponsáveis”, e pode, inclusive, não fechar contrato com os jogadores que já foram anunciados pelo Cruzeiro para 2022: o goleiro Jailson, o lateral-direito Pará, os zagueiros Maicon e Sidnei, os volantes Fernando Neto, Filipe Machado e Pedro Castro, o meia João Paulo e o atacante Edu. Tudo depende de se os atletas vão estar dispostos a negociar um valor que caiba no novo orçamento do clube, que tem por objetivo a redução da folha salarial atual em dois terços. A ideia da gestão de Ronaldo, que inclui o ex-zagueiro Paulo André, é investir com responsabilidade e de forma transparente diante da torcida, para que o Cruzeiro possa ter sucesso a longo prazo. É importante lembrar que Ronaldo, como investidor, passa por um processo de investigação de informações da empresa (agora a Sociedade Anônima de Futebol que vai se tornar o Cruzeiro), determinada por lei, que lhe permite desistir da compra em um prazo de 120 dias. No entanto, o grupo de investidores do ex-jogador garante que renunciar à decisão de compra não está nos planos, ainda que o baque inicial de dívidas e folha salarial tenha sido grande. Neste momento, com os primeiros cortes e análises, o Cruzeiro busca um treinador para levar o clube ao seu maior objetivo, que é a volta para a Série A do Campeonato Brasileiro, e o perfil do novo comandante já está traçado: precisa se encaixar no orçamento atual, mas, ao mesmo tempo, tem que ter olhos para as categorias de base e almejar um sucesso a longo prazo junto ao Cruzeiro. As informações que circulam na imprensa são de que Ronaldo Nazário e seus “homens de confiança” estão fazendo uma sondagem geral pelos técnicos, em busca de alguém que se encaixe no padrão. Já foi falado em Fernando Diniz e até Mano Menezes, mas o último a ser especulado fortemente como técnico do cruzeiro foi o português António Oliveira, ex-comandante do Athletico Paranaense. Seja como for, os sinais são bons para os torcedores do Cruzeiro. A expectativa é de uma administração séria e comprometida a levar o Cruzeiro de volta para os seus dias de glória, que é exatamente o que o clube e seus torcedores fanáticos precisam para um 2022 de esperança e, quem sabe, de conquistas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.