Início » Colunas » Coluna do Verchai » Como foi a última rodada das Eliminatórias da Conmebol

Como foi a última rodada das Eliminatórias da Conmebol

Fernando Verchai

Brasil goleia Bolívia na altitude, confirma liderança da tabela e quebra recorde de pontos na competição.

Na noite desta terça-feira (29) aconteceram os jogos da última rodada das Eliminatórias da CONMEBOL para a Copa do Mundo do Catar que acontece no fim deste ano. Na Bolívia, a Seleção Brasileira precisou lidar com a altitude para fazer mais uma boa partida, como era o objetivo de Tite, e conseguiu. Mesmo com um time quase completamente diferente daquele que enfrentou o Chile no Maracanã na quinta-feira passada (24), pela penúltima rodada das Eliminatórias, a Seleção Brasileira sobrou diante da Seleção Boliviana na altitude de mais de 3,5 mil metros de La Paz. Apenas o goleiro Alisson, o zagueiro Marquinhos, o meia Paquetá e o atacante Antony foram mantidos na equipe titular, de forma que Éder Militão, Alex Telles, Daniel Alves, Fabinho, Bruno Guimarães, Philippe Coutinho e Richarlison ganharam uma chance de Tite e a grande maioria aproveitou muito bem. Um dos maiores destaques entre os que são considerados reservas da seleção de Tite foi o meia Bruno Guimarães, que surge como mais uma opção para Tite para o lugar de Fred. Recentemente contratado pelo Newcastle, o “novo rico” da Premier League, Bruno Guimarães está novamente em destaque no radar da Seleção Brasileira e tem grandes chances de estar na lista de Tite para a Copa do Mundo. Foi dele a jogada e o passe para o gol de Lucas Paquetá, que abriu o placar para a Seleção Brasileira, diante da Bolívia, aos 24 minutos do primeiro tempo. No segundo tempo os papéis se inverteram e Bruno Guimarães recebeu de Lucas Paquetá para marcar um golaço e carimbar seu nome entre os destaques da partida. Outro destaque foi um velho conhecido: Richarlison. O principal atacante do Everton, da Inglaterra, que venceu as Olimpíadas de 2020 com a Seleção Brasileira, perdeu espaço no time de Tite em razão de uma lesão e pela forte concorrência, mas ganhou uma chance nesta última partida das Eliminatórias e aproveitou bem a oportunidade, balançando as redes duas vezes diante da Bolívia: no fim do primeiro tempo, aproveitando assistência de Antony, e nos acréscimos da etapa final, aproveitando rebote do goleiro em finalização de Rodrygo. Entrando no segundo tempo, Gabriel Martinelli, Rodrygo e Arthur também ganharam alguns minutos e mantiveram o alto nível de rendimento. A Seleção Brasileira conseguiu uma vitória tranquila e elástica, por 4 a 0, sobre a Seleção Boliviana, fora de casa, e, com isso, quebrou o recorde de pontos nas Eliminatórias CONMEBOL, que até então era da Seleção Argentina. Com Marcelo Bielsa no comando, os argentinos conquistaram 43 pontos nas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2002 e ostentavam, até então, o melhor desempenho na competição. Agora, porém, com a vitória sobre a Bolívia, o Brasil de Tite alcançou os 45 pontos mesmo ainda tendo uma partida para fazer (contra a Argentina, adiada da 6ª rodada) e assumiu o recorde de pontos nas Eliminatórias CONMEBOL. Além disso, e mais importante de acordo com o técnico Tite, a Seleção Brasileira vem apresentando um ótimo rendimento e está deixando nós, torcedores brasileiros, esperançosos com a possibilidade do Hexa na Copa do Mundo do Catar.

Peru vence o Paraguai e deixa a Colômbia e o Chile fora da disputa da repescagem para a Copa do Mundo

Nesta última rodada das Eliminatórias havia apenas uma coisa indefinida: a vaga para a disputa da repescagem para a Copa do Mundo do Catar, que é disputada entre uma seleção sul-americana e uma seleção asiática (e, na outra chave, entre uma seleção da América do Norte ou Central e uma seleção da Oceania). Chile e Colômbia ainda tinham chances de assumir a 5ª posição das Eliminatórias CONMEBOL, mas o Peru, que dependia apenas de si para confirmar seu lugar na repescagem, não vacilou. A Seleção Chilena não conseguiu sequer fazer sua parte para buscar um lugar na repescagem: precisava vencer o Uruguai na última rodada, mas, mesmo jogando em casa, perdeu por 2 a 0 e ficou de fora da Copa do Mundo pela segunda vez consecutiva, provavelmente dando fim a uma era vitoriosa liderada por Arturo Vidal e Alexis Sánchez. Já a Seleção Colombiana conseguiu fazer a sua parte nesta última rodada, vencendo a Venezuela pelo placar simples, de 1 a 0, fora de casa. O resultado, porém, não foi o suficiente para compensar a campanha ruim da Colômbia nestas Eliminatórias, que a tirou da Copa do Mundo depois de duas participações consecutivas na competição. Isso porque o Peru, que dependia apenas de si para confirmar a 5ª posição da tabela, venceu o Paraguai por 2 a 0 ao lado da torcida, no Estádio Monumental de Lima, e garantiu seu lugar na disputa da repescagem (onde vai disputar uma vaga na Copa do Mundo com Emirados Árabes ou Austrália, que disputam o play-off das Eliminatórias da AFC – Confederação Asiática de Futebol).

Já os classificados de forma direta para a Copa do Mundo do Catar, além do Brasil, foram a Argentina, vice-líder das Eliminatórias CONMEBOL, o Uruguai, 3º colocado, e o Equador, 4º colocado. A Seleção Equatoriana foi uma grande surpresa nestas Eliminatórias, chegando a lutar com Brasil e Argentina na parte mais alta da tabela de classificação durante boa parte da competição, mas perdeu um pouco do fôlego no segundo turno de jogos. Mesmo assim, o Equador conseguiu um empate com a Argentina na última rodada das Eliminatórias. Depois de ter saído atrás no placar, o Equador buscou o empate nos acréscimos do segundo tempo com gol de pênalti do experiente capitão Enner Valencia, o principal nome desta seleção. Ficaram de fora da Copa do Mundo, além de Colômbia (6ª colocada) e Chile (7º colocado): o Paraguai (8º colocado), a Bolívia (9ª colocada) e a Venezuela, última colocada. Ainda resta um jogo das Eliminatórias CONMEBOL para acontecer, entre Brasil e Argentina, válido pela 6ª rodada, que deverá ser remarcado para acontecer até junho. Neste momento, seis pontos separam o líder, Brasil, da vice-líder, Argentina, mas ambos seguem invictos na competição: o Brasil tem 14 vitórias e 3 empates; e a Argentina tem 11 vitórias e 6 empates.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.