Início » Colunas » Coluna do Verchai » Oitavas de final da Liga dos Campeões

Oitavas de final da Liga dos Campeões

Fernando Verchai

Firmino sai do banco de reservas e ajuda Liverpool a conquistar vitória sobre a Inter fora de casa, pelas oitavas de final da Liga dos Campeões.

firmino comemora gol sobre internazionale de milão na champions 2021-2022

Brasileiro Roberto Firmino entra durante jogo e decide para o Liverpool em Milão (Divulgação/Uefa Champions League)

Nesta quarta-feira (16), o Liverpool visitou a Internazionale em Milão, no San Siro, pela partida de ida das oitavas de final da Liga dos Campeões. Como já era de se esperar, a atual campeã italiana fez um confronto muito duro com o Liverpool e, inclusive, foi melhor em campo durante a maior parte do jogo. Com Mané abaixo das expectativas e Elliott sem dar a sustentação que o meio de campo precisava, o Liverpool se livrou da derrota no primeiro tempo graças a grande atuação do seu sistema defensivo, a começar pelo volante Fabinho, até o goleiro Alisson. Mesmo sem contar com um de seus principais jogadores, o meia italiano Nicolò Barella, a Inter conseguiu se impor dentro de campo com o esquema armado pelo técnico Simone Inzaghi, com três zagueiros, três meias, dois alas e dois atacantes. Arturo Vidal, Brozovic e Çalhanoglu controlaram o meio de campo e Dumfries e Perisic foram ótimas válvulas de escape da Inter pelas pontas. Foi em jogada de Perisic pela ponta esquerda que a Inter teve a melhor chance do primeiro tempo: Çalhanoglu recebeu na área e soltou o pé na bola, que explodiu no travessão. Pelo lado do Liverpool, as melhores chances vieram através de bolas paradas, pois nem mesmo os contra-ataques rápidos foram eficazes, e Sadio Mané cabeceou por cima a melhor oportunidade dos Reds no primeiro tempo. Depois do intervalo, forçado a tirar Diogo Jota por uma lesão no tornozelo, Jürgen Klopp voltou para o segundo tempo com Roberto Firmino e o Liverpool evoluiu, mas a Inter continuou com mais intensidade no ataque e criando as melhores chances. Isso até o técnico dos Reds fazer mais três mudanças: saíram Fabinho, Elliott e Mané para entrarem, respectivamente, Henderson, Keita e Luis Díaz. Já em sua primeira jogada, Luis Díaz tabelou com Alexander-Arnold e só não marcou porque o zagueiro sérvio Skriniar chegou na hora certa para travar a finalização do atacante colombiano. Aos poucos, com Inzaghi se limitando a fazer uma única substituição (Alexis Sánchez no lugar de Lautaro Martínez), a intensidade da Inter foi caindo e o Liverpool passou a tomar conta do jogo. E foi mesmo na bola parada que o Liverpool abriu o placar: Robertson cobrou escanteio na primeira trave, onde Firmino apareceu para desviar levemente a bola na direção do gol, sem chances de defesa para Handanovic. Foi o décimo oitavo gol de Firmino na Liga dos Campeões, se igualando a Ronaldinho Gaúcho, Juninho Pernambucano e Alex entre os maiores artilheiros brasileiros na principal competição europeia (o primeiro entre os brasileiros é Neymar, com 41 gols). Sem fôlego para reagir, a Inter se fechou no campo de defesa e acabou não conseguindo evitar o gol do principal artilheiro do Liverpool, Mohamed Salah. O atacante egípcio aproveitou desvio de Van Dijk na área e contou com a sorte para tocar por entre as pernas de dois defensores para marcar o seu oitavo gol nesta Liga dos Campeões (ficando atrás, apenas, de Robert Lewandowski, com 9, e Sébastien Haller, com 10, na artilharia). Com a vitória por 2 a 0, o Liverpool pode até perder por 1 gol em Anfield na partida da volta, marcada para o dia 8 de março, que ainda avança para as quartas de final. Qualquer vitória da Inter por dois gols leva a decisão para a prorrogação e, posteriormente, pênaltis, tendo em vista que a UEFA não utiliza mais o gol fora de casa como critério de desempate.

Bayern de Munique passa sufoco, mas se livra de derrota para o Salzburg e se mantém próximo de classificação

Em um dos confrontos que teoricamente envolviam grande diferença entre a força das equipes, o Bayern de Munique não conseguiu confirmar o seu favoritismo sobre o Red Bull Salzburg. Na Red Bull Arena, na Áustria, o Salzburg aproveitou o apoio da torcida para surpreender um dos maiores campeões europeus. Se defendendo muito bem para aguentar a pressão do gigante alemão, o Salzburg se aproveitou de um contra-ataque rápido para abrir o placar: Karim Adeyemi avançou pelo campo de ataque e fez o passe para Brenden Aaronson, que, com um leve desvio, deixou Chukwubuike Adamu na cara do gol para marcar. Surpreendentemente o Bayern de Munique sentiu o golpe e demorou para reagir, mas pelo contrário, permitiu que o Salzburg continuasse levando muito perigo à meta defendida por Sven Ulreich, substituto de Manuel Neuer (machucado). Foi só no segundo tempo que o Gigante da Bavária passou a tomar conta do jogo e criar as melhores oportunidades, mas, ainda assim, o Salzburg levou perigo nos contra-ataques. Aos 35 minutos do segundo tempo, depois que Sané se atrapalhou com Sabitzer na saída de bola e o Salzburg ficou muito perto de aumentar o placar, mas Ulreich fez grande defesa em finalização de Adeyemi e Pavard salvou praticamente em cima da linha depois que Chukwubuike ficou com o rebote. No fim, na base do abafa, já aos 45 minutos do segundo tempo, o Bayern de Munique castigou a falta de aproveitamento do Salzburg: Pavard levantou na área, Müller desviou de “casquinha” e a bola sobrou na área para Coman, que não perdoou.

O empate no fim foi um grande alívio para o atual Eneacampeão Alemão, que vai precisar de uma vitória simples na Alemanha, na Allianz Arena, na partida da volta, marcada para o dia 8 de março, para avançar às quartas de final da Liga dos Campeões. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.