Blog Betmotion!

América avança à fase de grupos da Libertadores

torcida do américa no defensores del chaco pela libertadores 2022

Torcida do América viveu fortes emoções no Defensores del Chaco na épica classificação do Coelho na Libertadores. Resta só um -mata-mata antes da fase de grupos (Divulgação)

Em primeira participação na competição mais importante do continente, América supera expectativas, elimina atual semifinalista e se classifica para a disputa da fase de grupos.

(Divulgação/Libertadores BR)

No fim do mês passado (23/02), o América recebia o Guaraní, do Paraguai, na Arena Independência, em Belo Horizonte (Minas Gerais) pela partida de ida da segunda fase eliminatória da Copa Libertadores da América. Foi a primeira vez que o Coelho disputou uma partida válida pela competição mais importante do continente. Assim como o clube, mais da metade do elenco e, também, o técnico Marquinhos Santos nunca haviam disputado uma partida oficial de Libertadores, ainda que pela fase qualificatória. Mas foi exatamente com Marquinhos Santos e grande parte do atual elenco que o América conseguiu sua melhor campanha na Série A do Campeonato Brasileiro desde que passou a ser disputada no atual formato, em 2003 (em 1973 o time mineiro terminou melhor classificado que em 2021 no Brasileirão, mas passou longe de se classificar para a Libertadores). No entanto, com as mudanças no critério de classificação da Libertadores e uma combinação de fatores (a conquista do Palmeiras no ano passado, além do título do Atlético pela Copa do Brasil, duas equipes que estavam muito bem classificadas no Brasileirão), o 7º (Fluminense) e o 8º colocado (América) da Série A do Campeonato Brasileiro de 2021 também conseguiram uma vaga para a competição mais importante do continente, ainda que para disputarem a fase qualificatória. Assim, para chegarem à fase de grupos da Copa Libertadores da América de 2022, tanto o América como o Fluminense teriam de superar duas fases eliminatórias. O Fluminense está muito próximo de conseguir e o América, superando todas as expectativas, já confirmou seu lugar na fase de grupos da competição mais importante do continente. O primeiro desafio do Coelho foi diante do Guaraní, um time tradicional do Paraguai, que já protagonizou, não há muito tempo, uma eliminação do Corinthians na fase eliminatória da Libertadores. E logo na sua estreia pela Libertadores, jogando em casa, o América já teve de lidar com um problema muito conhecido por outros clubes brasileiros: furar a retranca das equipes paraguaias. Mais acostumado com as partidas decisivas da Libertadores, o Guaraní controlou o ímpeto do América no primeiro tempo e explorou muito bem os contra-ataques, até marcar o gol da vitória aos 46 minutos do segundo tempo. Na segunda partida, porém, disputada no Paraguai, o América mostrou ter o espírito da Libertadores em seu DNA e certamente emocionou seus torcedores: depois de ir para o intervalo perdendo por 2 a 0 (com um placar agregado de 3 a 0 para o Guaraní), a equipe mineira buscou uma virada histórica no segundo tempo, com dois gols de Wellington Paulista e um de Pedrinho nos acréscimos. Em razão de o gol marcado fora de casa não ser mais utilizado como critério de desempate, a decisão foi para os pênaltis, onde o América conseguiu a classificação. Mas o melhor ainda estava por vir. Faltava ao América passar pela última fase qualificatória da Libertadores, na qual acabou tendo de enfrentar o maior campeão equatoriano: o Barcelona de Guayaquil, que também foi semifinalista da última Libertadores (2021).

Resumo da classificação inédita e histórica do América para a fase de grupos da Copa Libertadores da América:

Assim como na disputa com o Guaraní, o América fez a primeira partida contra o Barcelona de Guayaquil ao lado da torcida para definir a classificação longe de casa, mais especificamente no Equador. E o pior de tudo: diante do maior campeão equatoriano, que, na última Libertadores (2021), surpreendeu ao liderar um grupo com Boca Juniors e Santos (semifinalistas em 2020) e só foi cair na semifinal, diante do Flamengo. No primeiro confronto com a equipe equatoriana, jogando em casa, o América poderia ter tido sorte melhor se o árbitro tivesse marcado um pênalti em um lance que gerou muitas dúvidas por um possível toque no braço de um dos zagueiros do Barcelona, mas o fato é que a equipe mineira se livrou da derrota. Isso porque, além de ter sido bastante pressionado, contando com uma atuação fantástica do goleiro Jaílson (ex-Palmeiras), de 40 anos, para não ser vazado, o América só não saiu da Arena Independência derrotado porque Carlos Garcés mandou pra fora uma chance em cobrança de pênalti nos minutos finais do jogo. O desenho da primeira partida, em Belo Horizonte, dava a impressão de que seria muito difícil que, jogando em casa, o Barcelona de Guayaquil não conseguisse a vitória e a classificação para a fase de grupos. No entanto, contando com mais uma atuação brilhante do experiente goleiro Jaílson na partida da volta, o América conseguiu segurar a pressão do Barcelona até o apito final da partida. O América teve seus momentos no campo de ataque e levou algum perigo à meta equatoriana, mas o Barcelona levou muito mais perigo e só não balançou as redes por conta das intervenções fundamentais de Jaílson. Mais uma vez o placar terminou zerado e a decisão acabou indo para os pênaltis, onde, de novo, Jaílson foi fundamental. Graças à defesa de Jaílson na cobrança de Quiñonez, combinado com o 100% de aproveitamento da equipe mineira nas cobranças, o América venceu o Barcelona nas penalidades e garantiu sua classificação inédita para a fase de grupos da Libertadores.

O outro brasileiro, o Fluminense, pode até perder na partida da volta que ainda avança na Libertadores

Em situação bem diferente à do América, o Fluminense só não vai se classificar para a fase de grupos da Libertadores em caso de um desastre inesperado. Favorito diante do Olimpia, do Paraguai, o Fluminense venceu a primeira partida, no Rio de Janeiro, por 3 a 1, e pode até perder por 1 gol de diferença na volta que ainda se classifica. A sequência de vitórias foi encerrada na última partida, pelo Campeonato Carioca, mas o Fluminense segue invicto nas últimas 13 partidas e dificilmente vai deixar a classificação para a fase de grupos da Libertadores escapar. A partida de volta da última fase qualificatória da Libertadores, entre Olimpia e Fluminense, acontece no Estádio Defensores del Chaco, na capital do Paraguai, nesta quarta-feira (16), às 21:30 (no horário de Brasília).

Sair da versão mobile