Início » Colunas » Coluna do Verchai » América avança à fase de grupos da Libertadores

América avança à fase de grupos da Libertadores

Fernando Verchai

Em primeira participação na competição mais importante do continente, América supera expectativas, elimina atual semifinalista e se classifica para a disputa da fase de grupos.

em destaque goleiro do américa mineiro jailson durante disputa de penaltis contra o barcelona de guayaquil que valeu vaga na fase de grupos da libertadores 2022

(Divulgação/Libertadores BR)

No fim do mês passado (23/02), o América recebia o Guaraní, do Paraguai, na Arena Independência, em Belo Horizonte (Minas Gerais) pela partida de ida da segunda fase eliminatória da Copa Libertadores da América. Foi a primeira vez que o Coelho disputou uma partida válida pela competição mais importante do continente. Assim como o clube, mais da metade do elenco e, também, o técnico Marquinhos Santos nunca haviam disputado uma partida oficial de Libertadores, ainda que pela fase qualificatória. Mas foi exatamente com Marquinhos Santos e grande parte do atual elenco que o América conseguiu sua melhor campanha na Série A do Campeonato Brasileiro desde que passou a ser disputada no atual formato, em 2003 (em 1973 o time mineiro terminou melhor classificado que em 2021 no Brasileirão, mas passou longe de se classificar para a Libertadores). No entanto, com as mudanças no critério de classificação da Libertadores e uma combinação de fatores (a conquista do Palmeiras no ano passado, além do título do Atlético pela Copa do Brasil, duas equipes que estavam muito bem classificadas no Brasileirão), o 7º (Fluminense) e o 8º colocado (América) da Série A do Campeonato Brasileiro de 2021 também conseguiram uma vaga para a competição mais importante do continente, ainda que para disputarem a fase qualificatória. Assim, para chegarem à fase de grupos da Copa Libertadores da América de 2022, tanto o América como o Fluminense teriam de superar duas fases eliminatórias. O Fluminense está muito próximo de conseguir e o América, superando todas as expectativas, já confirmou seu lugar na fase de grupos da competição mais importante do continente. O primeiro desafio do Coelho foi diante do Guaraní, um time tradicional do Paraguai, que já protagonizou, não há muito tempo, uma eliminação do Corinthians na fase eliminatória da Libertadores. E logo na sua estreia pela Libertadores, jogando em casa, o América já teve de lidar com um problema muito conhecido por outros clubes brasileiros: furar a retranca das equipes paraguaias. Mais acostumado com as partidas decisivas da Libertadores, o Guaraní controlou o ímpeto do América no primeiro tempo e explorou muito bem os contra-ataques, até marcar o gol da vitória aos 46 minutos do segundo tempo. Na segunda partida, porém, disputada no Paraguai, o América mostrou ter o espírito da Libertadores em seu DNA e certamente emocionou seus torcedores: depois de ir para o intervalo perdendo por 2 a 0 (com um placar agregado de 3 a 0 para o Guaraní), a equipe mineira buscou uma virada histórica no segundo tempo, com dois gols de Wellington Paulista e um de Pedrinho nos acréscimos. Em razão de o gol marcado fora de casa não ser mais utilizado como critério de desempate, a decisão foi para os pênaltis, onde o América conseguiu a classificação. Mas o melhor ainda estava por vir. Faltava ao América passar pela última fase qualificatória da Libertadores, na qual acabou tendo de enfrentar o maior campeão equatoriano: o Barcelona de Guayaquil, que também foi semifinalista da última Libertadores (2021).

Resumo da classificação inédita e histórica do América para a fase de grupos da Copa Libertadores da América:

Assim como na disputa com o Guaraní, o América fez a primeira partida contra o Barcelona de Guayaquil ao lado da torcida para definir a classificação longe de casa, mais especificamente no Equador. E o pior de tudo: diante do maior campeão equatoriano, que, na última Libertadores (2021), surpreendeu ao liderar um grupo com Boca Juniors e Santos (semifinalistas em 2020) e só foi cair na semifinal, diante do Flamengo. No primeiro confronto com a equipe equatoriana, jogando em casa, o América poderia ter tido sorte melhor se o árbitro tivesse marcado um pênalti em um lance que gerou muitas dúvidas por um possível toque no braço de um dos zagueiros do Barcelona, mas o fato é que a equipe mineira se livrou da derrota. Isso porque, além de ter sido bastante pressionado, contando com uma atuação fantástica do goleiro Jaílson (ex-Palmeiras), de 40 anos, para não ser vazado, o América só não saiu da Arena Independência derrotado porque Carlos Garcés mandou pra fora uma chance em cobrança de pênalti nos minutos finais do jogo. O desenho da primeira partida, em Belo Horizonte, dava a impressão de que seria muito difícil que, jogando em casa, o Barcelona de Guayaquil não conseguisse a vitória e a classificação para a fase de grupos. No entanto, contando com mais uma atuação brilhante do experiente goleiro Jaílson na partida da volta, o América conseguiu segurar a pressão do Barcelona até o apito final da partida. O América teve seus momentos no campo de ataque e levou algum perigo à meta equatoriana, mas o Barcelona levou muito mais perigo e só não balançou as redes por conta das intervenções fundamentais de Jaílson. Mais uma vez o placar terminou zerado e a decisão acabou indo para os pênaltis, onde, de novo, Jaílson foi fundamental. Graças à defesa de Jaílson na cobrança de Quiñonez, combinado com o 100% de aproveitamento da equipe mineira nas cobranças, o América venceu o Barcelona nas penalidades e garantiu sua classificação inédita para a fase de grupos da Libertadores.

O outro brasileiro, o Fluminense, pode até perder na partida da volta que ainda avança na Libertadores

Em situação bem diferente à do América, o Fluminense só não vai se classificar para a fase de grupos da Libertadores em caso de um desastre inesperado. Favorito diante do Olimpia, do Paraguai, o Fluminense venceu a primeira partida, no Rio de Janeiro, por 3 a 1, e pode até perder por 1 gol de diferença na volta que ainda se classifica. A sequência de vitórias foi encerrada na última partida, pelo Campeonato Carioca, mas o Fluminense segue invicto nas últimas 13 partidas e dificilmente vai deixar a classificação para a fase de grupos da Libertadores escapar. A partida de volta da última fase qualificatória da Libertadores, entre Olimpia e Fluminense, acontece no Estádio Defensores del Chaco, na capital do Paraguai, nesta quarta-feira (16), às 21:30 (no horário de Brasília).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.