Início » Colunas » Coluna do Verchai » PSG e seus problemas para reverter derrota para Dortmund

PSG e seus problemas para reverter derrota para Dortmund

Fernando Verchai

Nessa quarta-feira, às 17 horas, o Paris Saint-Germain recebe o Borussia Dortmund no Parque dos Príncipes (na França) para definir quem avança às quartas de final da principal competição europeia de clubes.

Haaland foi o destaque do triunfo do Dortmund sobre o PSG na Alemanha (Foto: reprodução/Twitter do Borussia Dortmund)

Na segunda-feira, a Polícia de Paris determinou que a partida decisiva das oitavas de final da Liga dos Campeões não poderá ter a participação de torcedores por conta da epidemia do Covid-19 (o coronavírus). Portanto, apesar de jogar em casa, o PSG não contará com o apoio da torcida parisiense, assim como também não deverá contar com Kylian Mbappé.

De acordo com informações do jornal “L’Équipe”, o atacante francês teve sintomas de gripe e foi submetido a exames para descobrir se foi contaminado pelo Covid-19.

O jornal francês afirmou que o primeiro teste para saber se o atleta estava com coronavírus teve resultado negativo, mas que um exame definitivo será divulgado nesta quarta-feira, antes da partida contra o Borussia Dortmund.

O técnico do Paris Saint-Germain, o alemão Thomas Tuchel, afirmou que Mbappé se recuperou bem e só aguarda a confirmação de que não está infectado pelo Covid-19. Mesmo assim, o atacante francês não deve iniciar a partida entre os titulares, mas, no máximo, no banco de reservas.

Além dele, Ander Herrera, Dagba, Choupo-Moting e Diallò, lesionados, são desfalques certos para o Paris Saint-Germain, assim como Verratti e Meunier, que terão de cumprir suspensão.

Thiago Silva também é dúvida para o jogo. O zagueiro brasileiro de 35 anos teve uma lesão muscular no dia 23 de fevereiro, em partida contra o Bordeaux pelo Campeonato Francês, mas já treina normalmente com os demais jogadores do clube e pode retornar à equipe principal nesta quarta-feira.

Tudo isso em meio a muitos problemas dos jogadores com a comissão técnica e a direção do clube francês. Os desentendimentos começaram com a tentativa de Neymar de deixar o PSG para retornar ao Barcelona, mas não pararam por aí.

Quando tudo parecia relativamente resolvido, foi a vez do brasileiro se irritar com a direção e comissão técnica por ter ficado de fora das quatro partidas que antecederam o jogo de ida das oitavas de final da Liga dos Campeões.

O PSG acabou sendo derrotado por 2 a 1 e, mesmo assim, os jogadores se reuniram para festejar e comemorar os aniversários de Cavani, Icardi e Di Maria. Muitos vídeos da festa foram vazados e o diretor esportivo, Leonardo, fez uma reunião com o elenco, na qual dirigiu duras críticas a praticamente todos os seus atletas.

No entanto, os jogadores fizeram uma segunda reunião, somente entre eles, e, ao que parece, a grande maioria compreende que o que é feito fora de campo não tem afetado no comprometimento do elenco dentro das quatro linhas. Com isso, o racha entre jogadores e comissão técnica está evidente.

De acordo com o site “UOL”, “o grupo entende que consegue se virar dentro de campo sem seguir à risca os pedidos do treinador”. Thomas Tuchel foi alvo de críticas dos jogadores por não ter escalado o quarteto Neymar, Di Maria, Mbappé e Icardi (ou Cavani) na primeira partida diante do Borussia Dortmund, o que teria prejudicado o rendimento da equipe.

Desde a derrota por 2 a 1 na Liga dos Campeões, o Paris Saint-Germain venceu as duas partidas que disputou no campeonato nacional, e despachou o Lyon da Copa da França com goleada por 5 a 1 fora de casa.

Apesar de todos os problemas e da pressão, principalmente sobre Thomas Tuchel e Neymar, o elenco se diz confiante para reverter a derrota sofrida na Alemanha e se classificar às quartas de final da Liga dos Campeões depois de três anos parando nas oitavas.

Em três temporadas de PSG, esta é a primeira vez que Neymar estará em campo para ajudar a equipe francesa a avançar na competição, e uma eliminação para o Borussia Dortmund seria bastante amarga para os torcedores, que viam no atacante brasileiro a grande esperança do primeiro título continental.

Do outro lado, o Borussia Dortmund chega para a decisão em alta

Se de um lado o PSG, visto como favorito no confronto, tem de lidar com diversos problemas, o Borussia Dortmund vive momento de êxtase. Nos últimos dez jogos, foram oito vitórias da equipe aurinegra, com nada menos do que 31 gols marcados. Erling Haaland esteve presente nestes últimos dez jogos, tendo balançado as redes doze vezes (incrível média de 1,2 gol por jogo).

O atacante norueguês de apenas 19 anos de idade é a sensação da Liga dos Campeões e, mesmo com tão pouca idade, já conseguir levar o Borussia Dortmund à outro patamar. Ele foi o autor dos dois gols da vitória sobre o Paris Saint-Germain pelo jogo de ida das oitavas de final da Liga dos Campeões, e dificilmente passará em branco nesta quarta-feira.

Apesar de ter sido eliminado para o Werder Bremem na Copa da Alemanha, o Borussia Dortmund disparou na Bundesliga, alcançando a vice-liderança e sendo o principal perseguidor do Bayern de Munique. O time comandado pelo suíço Lucien Favre vive sequência de cinco vitórias e chega embalado para a decisão. O técnico só não conta com dois jogadores para a partida desta quarta-feira: o volante Thomas Delaney e o meia atacante Marco Reus.

Portanto, a probabilidade é de que a equipe seja a mesma que entrou em campo no primeiro jogo, com Bürki no gol; Piszczek, Hummels, Zagadou e Hakimi na linha defensiva; Emre Can, Axel Witsel e Raphael Guerreiro no meio de campo; e Jadon Sancho, Erling Haaland e Thorgan Hazard (ou Julian Brandt) formando o trio ofensivo.

Retrospectos:

Em se tratando de história, o Borussia Dortmund leva vantagem por já ter vencido a Liga dos Campeões uma única vez, na temporada 1996/97, enquanto o PSG jamais venceu uma competição continental.

Atualmente, ambas as equipes lutam para surpreender na competição europeia. O Borussia Dortmund não avança às quartas de final da Liga dos Campeões desde a temporada 2016/17, e o PSG desde a temporada 2015/16.

Esta é a primeira vez que o time alemão joga uma partida de “mata-mata” contra o Paris Saint-Germain. A outra vez que os times se enfrentaram foi na temporada 2010/11, pela fase de grupos da Liga Europa. Naquela oportunidade, as duas partidas terminaram empatadas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *