Reconstruídos Corinthians e Palmeiras iniciam decisão paulista

Rogerio Jovaneli
Rogerio Jovaneli

Corinthians e Palmeiras iniciam na noite de hoje as finais do Campeonato Paulista, mas, claro, o duelo vale muito mais do que um estadual. O principal clássico da cidade de São Paulo é um raro caso de jogo que, nesse caso, é muito maior do que a competição. Derrotar o rival é o maior troféu desse Dérbi.

Quem vai largar na frente na final paulista? A bola rola para o Dérbi às 21h30 desta quarta (Reprodução: Twitter/Paulistão)

Enquanto o primeiro jogo da decisão paulista acontece na Arena Corinthians, às 21h30 desta quarta-feira (5), a volta será na casa alviverde, Allianz Parque, no sábado (8), às 16h30. Ambos os confrontos terão transmissão ao vivo da Rede Globo e do SporTV.

Corinthians: de quase eliminado a “deixou chegar”

Mandante da partida de logo mais, o Timão é apontado como aquele com menos pressão, justamente por ser o atual tricampeão paulista. Ainda mais que chegar à decisão era algo que pouca gente esperava quando o futebol parou devido à pandemia do novo coronavírus. Dado como provável eliminado, o time de Tiago Nunes precisava vencer seus dois últimos jogos na fase de grupos, o primeiro deles justamente o Dérbi.

E vieram essas duas vitórias: 1 a 0 na Arena de Itaquera, com Cássio salvando o time, e 2 a 0 no Oeste, novamente jogando muito abaixo.

(Reprodução: Twitter do Corinthians)

Mas ainda não bastava. Para se classificar, o Guarani precisaria tropeçar nas suas duas últimas partidas, e aconteceu: perdeu de 2 a 0 do Botafogo, que lutava contra o rebaixamento, e caiu diante do time reserva do São Paulo, derrotado por 3 a 1 na Vila Belmiro.

Classificado, o Corinthians ainda era visto como o azarão das quartas de finais entre os grandes, e atrás até do Red Bull Bragantino, que havia feito a melhor campanha. Pois o time de Tiago Nunes venceu mais esse desafio: 2 a 0 no Morumbi. E nas semifinais, contra outro time do interior, Mirassol, as coisas já deram uma mudada e o Timão já não era mais a zebra. Não jogou bem, mas não negou fogo e fez valer o favoritismo: Corinthians 1 a 0.

Tiago Nunes, de pressionado, aos poucos foi ganhando a confiança do torcedor corintiano, mas até ele contou com o acaso para achar o time, já que foi graças às perdas de Everaldo e Boselli, lesionados, que ele pôde escalar Mateus Vital e Jô (este, claramente por necessidade, em processo acelerado de recondicionamento físico). Mas Tiago também tem mérito nessa reconstrução: Danilo Avelar de zagueiro vem dando conta do recado, Carlos como lateral-esquerdo tem se firmado, atuando bem, e, principalmente, a aposta em Éderson foi o seu maior acerto. Com três gols nos últimos três jogos, o novo titular do meio-campo já até é visto como o “novo Paulinho”.

Palmeiras e a juventude que empolga e deixa medalhões no banco

Com o Palmeiras, a história é igualmente de uma espécie de reconstrução, só que com mais fartura de opções, também com ajuda do acaso, aliada a decisões acertadas do técnico. Afinal, o time do patrocinador poderoso, que contrata, contrata e contrata, agora se vê decidindo um título contra o maior rival tendo como grandes destaques os jovens Gabriel Menino (esse até no nome) e Patrick de Paula, de 19 e 20 anos, respectivamente. E no banco estão: Bruno Henrique, Zé Rafael, Lucas Lima Gustavo Scarpa e Raphael Veiga.

Autor do gol da classificação nas semifinais contra a Ponte Preta, o seu primeiro no profissional, Patrick de Paula há quatro anos era o “Pelezinho” do bairro Santa Margarida, zona oeste do Rio de Janeiro. Apelido que ganhou quando atuava pelo time amador Cara Virada (ali foi descoberto pelo Verdão). Ele chegou a jogar o torneio Taça das Favelas.

E esse novo Palmeiras nasce após uma perda bem importante: a saída de Dudu, o seu maior craque, negociado com o Al Duhail, do Catar. Mas acabou que a lacuna deixada por Dudu, que vinha sendo aproveitado no meio, foi muito bem ocupada com a ascensão da molecada, ajudada pelo experiente e vitorioso Ramires, campeão de Champions League com o Chelsea.

À frente, o trio que já atuava antes da saída de Dudu: Willian, Luiz Adriano e Rony, este graças a uma liminar, após ser suspenso pela Fifa. Então, entrosamento não falta no ataque. Único grande desfalque para esse primeiro Dérbi será Felipe Melo, que se machucou nas semifinais e até precisou deixar o jogo. Luan deve ser o substituto.

Prováveis escalações:

Corinthians: Cássio; Fagner, Gil, Avelar e Carlos; Gabriel e Éderson; Ramiro, Luan e Mateus Vital; Jô. Técnico: Tiago Nunes.

Palmeiras: Weverton; Marcos Rocha, Luan, Gustavo Gómez e Matías Viña (Diego Barbosa); Patrick de Paula, Ramires e Gabriel Menino; Willian, Luiz Adriano e Rony. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

Onde assistir ao Dérbi:

Local: Arena Corinthians, em Itaquera.

Horário: 21h30 (de Brasília).

TV aberta: Globo – para SP, PR, Resende (RJ), ES, DF, GO, TO, MS, MT, SE, AL, PB, RN, CE, PI, MA, PA, AM, RO, AC, RR e AP. Narração de Cleber Machado, com comentários de Walter Casagrande e Paulo Nunes.

TV paga: SporTV e Premiere (para todo o País), com narração de Odinei Ribeiro e análises de Maurício Noriega e Alexandre Lozetti.

Acesse apostas esportivas no site do Betmotion.

Além disso, confira, também, a nossa página betmotionbr no Instagram, com bônus, dicas e promoções.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *