Início » Colunas » Coluna do Verchai » Palmeiras e Chelsea definem título Mundial

Palmeiras e Chelsea definem título Mundial

Fernando Verchai
chaveamento mundial de clubes fifa 2021

(Reprodução/Twitter Fifa World Cup)

Alviverde espanta fantasmas de 2021 com vitória imponente sobre o Al Ahly nas semifinais e garante vaga na decisão do Mundial.

palmeiras - estádio da estreia no mundial de clubes 2021 da fifa

(Divulgação/Palmeiras)

Depois da participação frustrante no Mundial de Clubes de 2021, no qual caiu para o Tigres (do México) nas semifinais e perdeu a disputa de terceiro lugar para o Al Ahly, o Palmeiras mostrou evolução para se classificar à final do torneio neste ano. Com uma equipe mais consolidada e sistemas bem estabelecidos, com algumas variações táticas, o Palmeiras não deu chances para o Al Ahly na partida disputada nesta terça-feira (8), válida pela semifinal deste Mundial de Clubes. Apostando na manutenção da equipe que disputou a final da Libertadores do ano passado, contra o Flamengo, com exceção da mudança na lateral-direita (Marcos Rocha voltou a assumir a titularidade, no lugar de Mayke), o Palmeiras se sentiu em casa no Estádio Al Nahyan, localizado em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes, como disse o técnico Abel Ferreira em entrevista concedida após a classificação: “Eu parecia que estava no Allianz Parque. Obrigado à Família Palmeiras”. Isso porque os palmeirenses que tomaram Abu Dhabi ocuparam oito dos doze mil lugares que foram disponibilizados no estádio, o que equivale à dois terços do total. E aqueles que temiam o pior em razão da apatia do Palmeiras no Mundial do ano passado se surpreenderam com o desempenho da equipe comandada por Abel Ferreira na atual edição do torneio. É certo afirmar que o que faltou ao Palmeiras no confronto de 2021 contra o Al Ahly, quase sobrou neste ano. Com gols de Raphael Veiga e Dudu, os principais destaques da partida, o Palmeiras venceu o time africano por 2 a 0 e poderia ter feito mais, mas o importante é que conquistou a tão sonhada vaga na final do Mundial de Clubes. O técnico do Al Ahly, Pitso Mosimane, tinha dito que se valeria do vigor físico de seus atletas para passar pelo Palmeiras, mas Abel Ferreira seguiu sua própria fórmula para avançar à final e ir em busca do título mundial: “O caminho é o do trabalho e o da dedicação. Não é fazer o que eu quero fazer, é fazer o que é preciso ser feito” foram as palavras do comandante português após a classificação. “Hoje, na Europa e no Mundo, sabem a grandeza do Palmeiras” completou. Esta grandeza foi demonstrada dentro de campo, enfrentando os atuais bicampeões da Liga dos Campeões da África em partida válida pelas semifinais do Mundial de Clubes.

Resumo da partida:

O Palmeiras não teve medo de se lançar para o ataque e, ao mesmo tempo, teve paciência para encontrar o melhor momento para fazer suas investidas, de forma que controlava a posse de bola. Muito seguro defensivamente e não permitindo espaços para os contra-ataques do Al Ahly, o Palmeiras conseguiu abrir o placar no primeiro tempo tirando proveito da pressão na saída de bola do adversário: Zé Rafael dobrou a marcação com Scarpa, recuperou a posse no campo de ataque e deu início a uma jogada muito rápida, que passou por Piquerez e Danilo antes de terminar com um belo passe de Dudu para Raphael Veiga sair na cara do gol e balançar as redes com um belo chute cruzado, de direita. No segundo tempo, mais uma vez com uma jogada muito rápida, Dudu recebeu de Raphael Veiga e avançou todo o campo de ataque, até invadir a área e soltar uma pancada para fazer o 2 a 0. O placar poderia ter sido mais elástico, mas o Palmeiras diminuiu o ritmo e acabou se livrando de sofrer um gol depois de uma falha grosseira do goleiro Weverton em razão da inteligência de Piquerez, que saiu rápido para deixar o adversário em posição de impedimento.

 

Chelsea confirma favoritismo em semifinal com o Al Hilal, da Arábia Saudita, e vai ser adversário do Palmeiras na definição do título

Atual campeão da Liga dos Campeões da Europa, o Chelsea é o time a ser batido neste Mundial de Clubes. Os Blues ostentam um dos elencos mais caros do mundo de acordo com estudo do CIES, o Observatório do Futebol, realizado no fim do ano passado. Alcançando o valor de quase 6 bilhões de reais, o elenco do Chelsea só está atrás de Manchester United e Manchester City, cada um avaliado em mais de 7,5 bilhões de reais. Como tem sido comum nos gigantes europeus, o Chelsea reúne uma verdadeira seleção do mundo, que conta desde jogadores ingleses, como os laterais Reece James e Ben Chilwell, até atletas africanos, como o caso do goleiro Édouard Mendy (jogador senegalês), e americanos, caso do zagueiro brasileiro Thiago Silva e do camisa 10 Christian Pulisic (jogador norte-americano). Dentre os principais nomes do elenco comandado pelo alemão Thomas Tuchel estão os volantes N’Golo Kanté (campeão do mundo com a França em 2018) e Jorginho (campeão da última Eurocopa pela Itália), além do meia alemão Kai Havertz e do atacante polivalente Romelu Lukaku, autor do gol que deu a classificação do Chelsea à final deste Mundial de Clubes. Em uma partida na qual o Chelsea demonstrou algumas fraquezas e contou com uma grande atuação do goleiro Kepa Arrizabalaga, Lukaku foi decisivo e aproveitou muito bem uma falha da defesa do Al Hilal, em cruzamento de Kai Havertz, para marcar o gol da vitória e da classificação dos Blues. A partida, de qualquer forma, dá esperanças para o Palmeiras, que chega muito bem preparado para o confronto. Há que se considerar, por outro lado, que nesta temporada europeia (2021/22) o Chelsea já acumula conquistas: foi campeão da Supercopa da UEFA (duelo entre os últimos vencedores das duas principais competições da Europa) no início da temporada, é o 3º colocado da Premier League, está nas oitavas de final na Liga dos Campeões e se classificou nas outras duas competições inglesas que disputa: está na final da Copa da Liga Inglesa (Carabao Cup) e classificado para as oitavas de final da Copa da Inglaterra (The FA Cup). Além disso, apesar de Thomas Tuchel ter reclamado do desgaste físico de seus jogadores em razão do calendário curto para o número de jogos, o Chelsea fez a última partida antes do Mundial no dia 23 de janeiro (ou seja, teve quase duas semanas para se preparar para a competição).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.