Início » Colunas » Coluna do Verchai » Goleada em El Clásico anima Barça e liga sinal de alerta no Real

Goleada em El Clásico anima Barça e liga sinal de alerta no Real

Fernando Verchai

A goleada de 4 a 0 imposta pelo Barcelona ao Real Madrid em El Clásico do último domingo animou os catalães e ligou um sinal de alerta no Real. Vitória do Barcelona em pleno Santiago Bernabéu acaba com uma sequência de cinco derrotas no clássico.

real 0 x 4 barcelona - placar do santiago bernabéu de el clásico de laliga 2021-2022

Que surra! Pela 29ª rodada de LaLiga, Barcelona goleia Real Madrid por 4 a 0 em pleno Santiago Bernabéu (Divulgação/FC Barcelona)

Líderes de LaLiga, os Merengues ainda mantêm boa vantagem sobre o rival, mas há ainda adversários complicados até o fim da competição.

El Clásico foi o grande destaque da 29ª rodada de LaLiga 

Neste domingo (20) o Real Madrid recebeu o Barcelona no Santiago Bernabéu, pela 29ª rodada do Campeonato Espanhol, em situação totalmente superior à do rival catalão. Classificado para as quartas de final da Liga dos Campeões após eliminar a equipe galáctica do Paris Saint-Germain nas oitavas de final, com direito a uma virada história em Madrid, ao lado da torcida no Santiago Bernabéu, o Real Madrid tinha a expectativa de voltar a dar espetáculo diante do seu torcedor no clássico contra um Barcelona que ainda buscava se reencontrar. Em La Liga, o Real Madrid não perdia há 8 rodadas, e vinha de cinco vitórias consecutivas, embalado para vencer o rival pela sexta vez consecutiva e, assim, praticamente selar o título do Campeonato Espanhol.

No entanto, o técnico Carlo Ancelotti teve de lidar com um problema gigante: a ausência do artilheiro e líder em assistências de La Liga, o atacante Karim Benzema. O camisa 9 francês, que marcou os 3 gols da vitória sobre o PSG, que deu a classificação ao Real Madrid para as quartas de final da Liga dos Campeões, e que balançou as redes outras duas vezes na vitória por 3 a 0 sobre o Mallorca na rodada anterior de La Liga, ficou fora do clássico por sentir dores musculares na panturrilha. Com isso, o italiano Carlo Ancelotti optou por não escalar um centroavante e tentou apostar no domínio do meio de campo para controlar a partida contra o Barcelona, escalando o uruguaio Fede Valverde junto com Casemiro, Kroos e Modric no meio, de forma a deixar apenas Vinícius Júnior e Rodrygo mais à frente, mas a estratégia não deu certo.

Apostando em Ronald Araújo na lateral-direita, o técnico do Barcelona, Xavi Hernández, conseguiu barrar a principal jogada ofensiva do Real Madrid: as descidas em velocidade de Vinícius Júnior. Além disso, mesmo com menos jogadores no meio de campo, o Barcelona conseguiu controlar a posse de bola porque o Real Madrid não foi capaz de efetuar uma boa marcação pressão, o que o time catalão, por outro lado, fez muito bem. E, por fim, a escalação de Ousmane Dembélé na ponta direita foi mais um grande trunfo de Xavi Hernández. Foi por lá, com o rápido atacante francês ficando no um contra um com Nacho Fernández (zagueiro que substituiu Mendy, machucado, na lateral-esquerda), que o Barcelona conseguiu marcar os dois primeiros gols. No primeiro, pouco antes dos 30 minutos do primeiro tempo, Dembélé levou para o fundo, ganhou de Nacho na velocidade e cruzou na medida para Aubameyang, que apareceu entre a dupla de zaga do Real para desviar a bola para o fundo da rede.

O Real Madrid não estava completamente apático no jogo. Nos contra-ataques, conseguiu levar perigo à meta de Ter Stegen através da velocidade de Vinícius Júnior e Rodrygo, mas faltou efetividade à dupla brasileira. Pelo lado do Barcelona, porém, tudo deu certo: além de praticamente anular as jogadas de Vinícius Júnior pela ponta esquerda do ataque do Real Madrid, o uruguaio Ronald Araújo apareceu na área no fim do primeiro tempo para completar cobrança de escanteio de Dembélé e fazer o segundo do Barça no clássico.

Depois do intervalo, Carlo Ancelotti colocou o atacante Mariano Díaz no lugar de Carvajal e reestruturou o sistema do Real Madrid: Nacho Fernández saiu da lateral-esquerda para a direita, Alaba foi da zaga para a lateral-esquerda e Casemiro recuou para fazer dupla de zaga com Éder Militão, de forma que o meio de campo ficou com Valverde, Modric e Camavinga (que entrou no lugar de Kroos). Mais uma vez, a estratégia do técnico italiano não funcionou. Exposto demais dentro de campo, o Real Madrid viu o Barcelona balançar as redes mais duas vezes em menos de 10 minutos de segundo tempo. Ferrán Torres marcou o primeiro depois de receber um passe de letra de Aubameyang, e, depois, os papéis se inverteram: Ferrán deu o passe e Aubameyang, com mais um toque de extrema categoria, encobriu Courtois para decretar o placar de 4 a 0 para o Barça.

Com a goleada, o Barcelona acabou com uma sequência de cinco derrotas consecutivas no clássico com o Real Madrid, e deu um passo importante no Campeonato Espanhol. Agora, com uma partida a menos, o Barcelona ocupa a 3ª posição da tabela, estando a 3 pontos do vice-líder, Sevilla, que será seu próximo adversário, e com 12 pontos de distância do líder, Real Madrid. Mesmo com a derrota no clássico, o Real Madrid segue na liderança isolada de La Liga e tem tudo para ficar com o título, mas um sinal de alerta foi ligado para a reta final do campeonato, até porque a equipe Merengue ainda vai enfrentar adversários muito fortes, como o Sevilla e o Atlético de Madrid. Neste momento, porém, Barcelona e Real Madrid vão ter tempo para se preparar para a reta final da temporada, pois, com a pausa para a data FIFA, só voltam a campo no início do mês que vem.

Barcelona reencontra equilíbrio com Xavi e sonha com título na temporada

treinador xavi durante empate sem gols entre barcelona e galatasaray no camp nou jogo de ida das oitavas da europa league 2021-2022

Técnico Xavi mudou Barcelona e ainda pode conquistar título na temporada (Foto: Miguel Ruiz/FC Barcelona)

Em uma de suas temporadas mais difíceis deste século, o Barcelona está conseguindo dar motivos para os torcedores comemorarem. Desde a fatídica perda de Neymar para o Paris Saint-Germain na temporada 2017/18, que se somou a saída de outros jogadores que eram pilares na estrutura da equipe, como Xavi Hernández um pouco antes e Andrés Iniesta logo após Neymar, o Barcelona já não era o mesmo. Muito se falou, nas últimas temporadas, sobre o fato de Lionel Messi parecer carregar o clube nas costas dentro de campo, e a saída do camisa 10 do Barcelona no fim da última temporada comprovou o que se falava. Sem Lionel Messi, o Barcelona teve um início desastroso nesta temporada, sob o comando de Ronald Koeman. O ex-zagueiro holandês acabou deixando o comando do clube catalão após 13 partidas (10 pelo Campeonato Espanhol e 3 pela fase de grupos da Liga dos Campeões), das quais venceu 5, perdeu outras 5 e empatou 3. Depois de mais dois empates e uma vitória sob o comando de um técnico-interino, Xavi Hernández assumiu a equipe em um clássico com o Espanyol pela 14ª rodada de La Liga, em um confronto direto na luta pela aproximação da zona de classificação para as competições europeias. A vitória por 1 a 0 no clássico catalão foi uma excelente estreia para o novo técnico, mas, depois de um empate sem gols com o Benfica pela penúltima rodada da fase de grupos da Liga dos Campeões, sofreu sua primeira derrota em um confronto direto com o Real Betis por vaga na zona de classificação para a Liga dos Campeões, pela 16ª rodada de La Liga, e acabou ficando de fora do mata-mata da Liga dos Campeões pela primeira vez em quase 20 anos (a última vez tinha sido na temporada 2003/04, na qual sequer esteve presente na fase de grupos) após uma derrota devastadora, por 3 a 0, diante do Bayern de Munique, na última rodada da fase de grupos. Desde então, porém, o Barcelona reforçou o seu elenco com as chegadas de Ferrán Torres e Pierre Aubameyang, além de Daniel Alves, Eric Garcia e Adama Traoré, e evoluiu em todas as competições que disputa. Neste momento, estando sem perder a 13 rodadas, o Barcelona venceu as últimas cinco de forma consecutiva e aparece na 3ª posição do Campeonato Espanhol mesmo tendo uma partida a menos que as demais equipes. Além disso, apesar das quedas na Supercopa da Espanha e nas oitavas de final da Copa do Rei, o Barcelona avançou no play-off e nas oitavas de final da Europa League, e chega nas quartas de final como o principal favorito ao título da segunda competição mais importante do Velho Continente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.