Diretoria e atletas do Fortaleza cortam salário para ajudar clube

Rogerio Jovaneli
Rogerio Jovaneli

Tentando organizar as contas diante dos prejuízos pela paralisação do futebol (justificada, afinal vivemos uma pandemia do novo coronavírus), o Fortaleza conseguiu chegar a um acordo financeiro com atletas e demais integrantes do clube. Tudo para poder honrar compromissos e não ter de realizar demissão de funcionários.

Rogério Ceni, técnico do Fortaleza, durante partida do time (Reprodução: site do Fortaleza)

Assim, segundo anunciou o clube, inclusive via Twitter (ver abaixo), foi criada a chamada “Rede de Proteção ao Funcionário (RPF) Tricolor, no qual jogadores e pessoas ligadas ao futebol, incluindo a própria diretoria, toparam cortar parte de seus salários. No caso dos atletas, com porcentuais a serem pagos, futuramente, após a crise.

Como irá funcionar:

– Jogadores receberão 25% do salário de março somente quando a crise passar.

–  Em abril, os atletas abrirão mão de 10% do salário em definitivo e de outros 15% provisoriamente, até a crise passar.

– Diretores e executivos remunerados abriram mão em definitivo de 15% dos vencimentos do mês de abril.

Acesse apostas esportivas no site do Betmotion.

Além disso, confira, também, a nossa seção de Análises e Palpites.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *