Início » Esportes » Olimpíadas e Pan » Futebol foi bi na melhor participação olímpica do Brasil

Futebol foi bi na melhor participação olímpica do Brasil

Rogerio Jovaneli

Graças a um gol na prorrogação do ex-corintiano Malcom, a Seleção de futebol levou o bi em Tóquio 2020. País terminou com a melhor participação olímpica.

malcom comemora gol da vitória do futebol em tóquio na melhor participação olímpica do brasil

Malcom marcou na prorrogação o gol do ouro brasileiro no futebol em Tóquio (Foto: Lucas Figueiredo)

Na comparação com a Rio 2016, em Tóquio 2020 o Brasil igualou o número de ouros (7) e pratas (6) e ganhou mais bronzes (8, contra 6), totalizando 21 e terminando em uma inédita 12ª posição no quadro de medalhas.

Na Olimpíada passada, realizada em solo brasileiro, foram 19 pódios com Brasil, que acabou na 13ª posição, então o melhor resultado.

Voltando ao futebol, a Seleção derrotou no último sábado (7) a Espanha por 2 a 1. Matheus Cunha fez 1 a 0 no primeiro tempo, mas Oyarzabal empatou na segunda etapa.

Foi então que Malcom, atual jogador do russo Zenit, entrou na prorrogação e virou o grande herói do bicampeonato olímpico brasileiro, marcando no comecinho da segunda etapa do tempo extra.

Não foi só o futebol. Brasil teve melhor dia olímpico

Por sinal, esse foi só um dos três ouros do Brasil no penúltimo dia olímpico, o melhor da história do País em Olimpíadas.

Isaquias Queiroz, ganhador de três medalhas na Rio 2016 (duas delas de prata), faturou a sua primeira de ouro em Tóquio na canoagem de velocidade. Depois, foi a vez de outro baiano, Hebert Conceição, vencer a final da categoria peso médio do boxe.

Infelizmente, o Brasil não teve o mesmo sucesso nas duas possibilidades de ouros no derradeiro dia de Tóquio 2020, já que a Seleção feminina de vôlei perdeu a final para os Estados Unidos, por 3 sets a 0, e a boxeadora Bia Figueiredo perdeu para a irlandesa Kellie Harrington na disputa do ouro no peso leve. A brasileira ganhou o primeiro round, mas perdeu os outros dois, segundo decisão dos juízes.

Agora, é Paris 2024! Confira todas as 21 medalhas da melhor participação olímpica do Brasil: 

Ouros (7)

Boxe: Hebert Conceição (peso médio)

Canoagem: Isaquias Queiroz (categoria velocidade – C1 1.000m)

Futebol: Seleção masculina

Ginástica artística: Rebeca Andrade (salto)

Maratona aquática: Ana Marcela Cunha

Vela: dupla Martine Grael e Kahena Kunze (classe 49er FX)

Surf: Italo Ferreira

Prata (6)

Boxe: Bia Ferreira (peso leve)

Ginástica artística: Rebeca Andrade (individual geral)

Skate (3): Kelvin Hoefler e Rayssa Leal (skate street), e Pedro Barros (skate park)

Vôlei de quadra: Seleção feminina

Bronze (8)

Atletismo (2): Alisson “Piu” Santos (400m com barreiras) e Thiago Braz (salto com vara)

Boxe: Abner Teixeira (peso pesado)

Judô (2): Daniel Cagnin (categoria até 66 kg) e Mayra Aguiar (meio-pesado)

Natação (2): Bruno Fratus (50m) e Fernando Scheffer (200m livre)

Tênis: dupla Luisa Stefani e Laura Pigossi

Leia também:

Santos brilha e Brasil vai à final do futebol em dia de ouro na Vela

Flamengo volta a dar show, e Brasileirão tem três grandes forças

VAR estraga o futebol quando se mete onde não deveria

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.