Cruzeiro demite Adilson Batista após derrota

Rogerio Jovaneli
Rogerio Jovaneli

Mineiro
CRU0
1COI

Agora é oficial: Adilson Batista não é mais técnico do Cruzeiro. O clube anunciou a demissão do treinador na noite deste domingo, logo após a derrota da Raposa por 1 a 0 para o Coimbra, antepenúltimo colocado do Campeonato Mineiro, no estádio Independência.

Adilson caiu após a derrota do Cruzeiro para o Coimbra, pelo Campeonato Mineiro (Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro)

Além de Adilson, também deixam o Cruzeiro o diretor de futebol Ocimar Bolicenho, o auxiliar técnico Cyro Garcia e o preparador físico José Mário Campeiz.

Restando apenas duas rodadas para o fim da primeira fase, o Cruzeiro soma 14 pontos, na quinta colocação e, portanto, fora da zona de classificação para a semifinal do Mineiro.

O clube celeste ainda vem de derrota por 2 a 0 no jogo de ida contra o CRB, pela Copa do Brasil, em pleno Mineirão, pela terceira fase da competição nacional.

Adilson, que comandou o Cruzeiro na reta final do Brasileirão 2019, que terminou no inédito rebaixamento à Segunda Divisão, deixa o clube com apenas uma vitória nos últimos nove jogos disputados nesta temporada.

Desabafo de Adilson

“Fui demitido pelo Carlos (Ferreira, gestor do futebol do Cruzeiro). Estarei na torcida, deixo claro que estou chateado pelos resultados recentes, que também temos culpa, mas a gente precisa entender o processo. Tive a coragem de pedir pra que determinados jogadores saíssem, enfrentei, ajudei nesse processo, com o clube numa bagunça, uma desordem. Atletas tomaram conta do clube, derrubaram o Mano, meu amigo, Abel, Rogério Ceni, tomaram conta do clube. Então, você chega e tem que limpar. Dei treino durante alguns dias com jogadores que eu não teria, até resolver essa situação, porque não tínhamos comando. Rezo pra que o clube tenha logo um presidente. Tá precisando urgentemente. Hoje tem oito gestores e os oito querem tomar conta do futebol”, desabafou Adilson, em pronunciamento feito pelo técnico ainda no Independência, de acordo com o site Globoesporte.

“Aí você tem 60 dias de trabalho, treina com 15 que não é para treinar. Chega 11 do juniores sem as devidas condições e que tem que participar. Aí era para estar aqui o Jean, chegou ontem, o Ariel era para já estar, Ramon treinou comigo e não estava (no início). Torcedor não gosta de A, B ou C. Demora para chegar outros. Hoje conto que pedi um meia, um extremo, um outro extremo, um lateral, mais um outro lateral. Alguns deveriam cuidar do Marketing, que era pra fazer uma campanha pra 300 mil e hoje só estamos com 45 mil. Então, este marketing tá mal, precisa melhorar”, cornetou.

Acesse apostas esportivas no site do Betmotion.

Além disso, confira, também, a nossa seção de Análises e Palpites.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *