Paulista volta com drama da Ponte e Santos e Santo André por vaga

Fernando Verchai
Fernando Verchai

Campeonato Paulista será retomado nesta quarta-feira (22)

Depois de mais de quatro meses paralisado, o Paulistão 2020 finalmente retornará, nesta quarta-feira (22/07), com quatro jogos importantes, válidos pela penúltima rodada da fase de grupos.

Taça do Campeonato Paulista de 2020 (reprodução/site da FPF)

Por conta da pandemia, todas as partidas restantes do Campeonato Paulista devem acontecer na capital do estado ou na Baixada Santista. Até o momento, as cidades do interior de São Paulo não foram liberadas, pelo governo estadual, para sediar os jogos como mandantes. Portanto, às 16h30 desta quarta-feira, a partida que abre o retorno da competição, entre Ituano (lanterna do grupo C) e Ferroviária (lanterna do grupo D), que deveria ser no estádio Dr. Novelli Júnior, em Itu, agora está marcada para acontecer no estádio do Canindé, em São Paulo. Mesmo assim, o Ituano chega para esta partida mais favorito do que se jogasse em casa antes da paralisação, pois passava por uma fase complicada naquele momento, tendo ficado sem vencer nos últimos 3 jogos que fez na competição. Já a Ferroviária chegaria embalada por uma sequência de oito jogos sem perder, com 5 empates e 3 vitórias.

Depois da paralisação, no entanto, a equipe de Araraquara já não é mais a mesma. Além da saída do técnico Sérgio Soares, outros oito jogadores também deixaram a equipe sem renovação. É verdade que a Ferroviária rapidamente buscou novos jogadores no mercado e anunciou Dado Cavalcanti para o comando técnico, mas muitos dos reforços sequer poderão entrar em campo, pois já atuaram em algum torneio organizado pela Federação Paulista de Futebol (FPF). Portanto, para a Ferroviária esta não será só a estreia desde a paralisação, mas a primeira partida de uma equipe bastante reformulada. Já o Ituano, que acerta contratos mais longos com os jogadores por também disputar a Série C, será basicamente o mesmo de antes da paralisação. Sendo assim, o time comandado por Vinícius Bergantin chega para a partida com certo favoritismo, e deve ir em busca da vitória para chegar na última rodada com pouca, ou nenhuma, chance de rebaixamento.

Grêmio Novorizontino ainda sonha com vaga no “mata-mata”

Nesta quarta-feira (22), às 19h15, a Ponte Preta pode ter decretado o seu rebaixamento depois de 20 anos na elite do futebol Paulista. Tudo depende do resultado da partida diante do Grêmio Novorizontino, 3º colocado do grupo B com 16 pontos (3 atrás de Santo André, líder do grupo, e Palmeiras, 2º colocado). Em caso de derrota da Macaca, suas chances de permanência na Série A1 do Paulista serão mínimas na última rodada, se é que ainda vão existir, pois a equipe está há 3 pontos do primeiro time fora da zona de rebaixamento. Pela frente, a Ponte Preta terá um Novorizontino com excelente campanha na competição, ainda buscando classificação para o “mata-mata”, e que renovou com a maior parte do elenco. A Ponte Preta, por sua vez, teve três perdas em relação à lista de atletas que iniciaram a competição, mas manteve a maior parte do elenco e deve fazer jogo equilibrado com o Grêmio Novorizontino.

Ponte Preta joga “em casa”, mas pode terminar rodada rebaixada

A última vez que a equipe alvinegra de Campinas caiu para a Série A2 do estadual foi há 25 anos, em 1995, quando levou mais cinco anos até retornar à Série A1. Desde então, a Ponte Preta se estabeleceu entre os melhores de São Paulo e esteve constantemente na fase de “mata-mata”. Em 2015 a Ponte Preta chegou a disputar a primeira divisão do Campeonato Brasileiro, mas voltou a ser rebaixada em 2017, mesmo ano em que terminou com o vice do estadual, tendo eliminado Santos, nas quartas de final, e Palmeiras, na semi, mas perdendo para o Corinthians na decisão. Neste ano, porém, as coisas pioraram drasticamente. A equipe comandada pelo técnico Geninho não funcionou: em 10 jogos no Paulistão 2020, soma apenas 7 pontos. Foram 2 vitórias, 1 empate e 7 derrotas, com 11 gols marcados e 17 sofridos. A Ponte Preta apresentou graves problemas defensivos e, por conta disso, chega para a penúltima rodada do Paulista na última posição da tabela geral, com grande risco de ser rebaixado ao lado do Botafogo-SP, que soma 8 pontos. Ituano, Oeste e Água Santa, primeiras equipes fora da zona do rebaixamento, têm 10 pontos na competição e, portanto, só a vitória interessa à Ponte Preta nesta partida, diante do Grêmio Novorizontino. Na segunda-feira (20), em entrevista coletiva, Yuri foi o porta-voz da equipe: “Estamos esperando por esse momento há muito tempo: foram pouco mais de três meses em casa e muita saudade dos gramados. Agora, estamos prontos para esses dois jogos, que estamos tratando como guerra” garantiu o lateral-esquerdo.

Partida entre Santos e Santo André vale vaga garantida na próxima fase do Paulista

Também às 19h15 desta quarta-feira, o Santos enfrenta o Santo André, na Vila Belmiro, em um jogo que pode garantir, a um dos times, vaga antecipada nas quartas de final da competição estadual. Uma vitória vale também a chance de lutar pela liderança da classificação geral, que garante vantagens nas decisões. O Santo André tem três baixas confirmadas, mas não divulgadas, para a partida por terem sido diagnosticados com Covid-19. Apesar de liderar a tabela geral do Paulista no momento, o time passava por má fase antes da paralisação, tendo perdido os últimos 4 jogos que fez. Mesmo assim, deve fazer partida equilibrada com o time da casa.

Com 4 vitórias, 3 empates e 3 derrotas, o Santos soma 15 pontos e é líder do grupo A com folga, uma vez que Oeste (2º) e Água Santa (3º) somam apenas 10 pontos. Portanto, uma vitória em casa significa, para o Santos, a certeza de que estará nas quartas de final do Paulista. No entanto, o clima na Baixada Santista não é bom. Muito pelo contrário. Em meio a saída dos medalhões Bryan Ruiz e Evandro, que aliviam o pagamento salarial com o término de seus contratos, o Santos também teve a saída do atacante Yuri Alberto, de apenas 19 anos. O jogador já tinha assinado um pré-contrato com o Internacional e está de mudança para o sul. Além deles, o principal zagueiro do Peixe, Lucas Veríssimo, também deve deixar o clube, envolvido em negociação junto ao Benfica, com o intuito de repor as finanças reduzidas do clube. Tão reduzidas que alguns jogadores devem acionar a justiça pelo não pagamento de salários. Até aqui, Eduardo Sasha e Everson foram os únicos a utilizar o meio judicial para conseguir a rescisão do contrato, além da comprovação da dívida do Santos que, no caso dos dois, gira em torno dos 7 milhões de reais (cada um). Mas calma torcedor santista, o Santos afirmou que também tem os seus direitos perante a justiça e vai discutir a possibilidade destes jogadores já estarem em conversas com outros clubes. Além disso, seus principais jogadores, Sánchez,  Soteldo e Marinho, afirmaram que não pretendem quebrar o vínculo com o clube desta forma e permanecem até o fim do contrato. Uribe e Raniel devem ganhar mais espaço.

Acesse apostas esportivas no site do Betmotion.

Além disso, confira, também, a nossa página betmotionbr no Instagram, com bônus, dicas e promoções.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *