Neymar busca levar PSG à título inédito e almeja prêmio

Fernando Verchai
Fernando Verchai

Neymar realiza desejo do PSG.

Juntos, eles fazem o PSG mais forte: Neymar e Mbappé, dupla que tenta dar ao Paris o inédito título (Reprodução: Instagram/Champions)

Depois de algumas decepções, Nasser Al Khelaifi aposta certo e leva PSG à final da Liga dos Campeões.

Como já foi falado aqui no blog, em 2011 o Paris Saint-Germain foi comprado pela QSI (Qatar Sports Investment – um fundo de investimentos ligado ao governo do Catar) e o diretor executivo da empresa, Nasser Al Khelaifi, assumiu a presidência do clube francês. Desde então o PSG tem investido valores à nível de Real Madrid e Barcelona. Consequentemente, a equipe parisiense se estabeleceu como a maior potência da França, tendo conquistado 7 das últimas 10 edições da Ligue One, além de outros 18 títulos nacionais durante o mesmo período.

Mas as conquistas internas deixaram de ser tão interessantes para Nasser Al Khelaifi, que cansou de ver sua forte equipe sempre decepcionar no mata-mata da Liga dos Campeões diante de outros gigantes europeus. Foi então que o presidente do Paris Saint-Germain desembolsou a maior quantia da história do futebol, tirando Neymar do Barcelona no início da temporada 2017/18 com o pagamento da multa rescisória, no valor de 222 milhões de euros. Além do brasileiro, Nasser Al Khelaifi buscou outras opções de elenco para montar um time pronto para vencer a Liga dos Campeões, e manteve alguns dos maiores pilares da equipe, como o zagueiro Thiago Silva e o volante italiano Marco Verratti. Chegaram também Mbappé, Ángel Di Maria, já tinha Cavani, mas Neymar se machucou em fases decisivas da competição europeia em duas temporadas (2017/18 e 2018/19) e o PSG continuou decepcionando.

Nesta temporada, para garantir que o brasileiro estaria pronto para a fase decisiva, o chefão da equipe parisiense entrou em conflito com o jogador para mantê-lo fora de algumas partidas da Ligue One. A estratégia funcionou, Neymar jogou todas as partidas de mata-mata desta Liga dos Campeões e pode-se dizer com tranquilidade que foi decisivo em todas. Falta, agora, o último e certamente o maior desafio do brasileiro e de toda a equipe parisiense: o esquadrão do Bayern de Munique.

Neymar busca levar PSG à título inédito e almeja prêmio individual

Depois de duas temporadas decepcionantes para Neymar, que assistiu da arquibancada duas eliminações precoces de sua equipe na Liga dos Campeões, finalmente ele conseguiu estar em campo e ajudou o PSG a chegar na grande final. Nas oitavas de final, o desafiante era o Borussia Dortmund do badalado Erling Haaland, que marcou 2 na primeira partida, na Alemanha, ainda antes da paralisação (em fevereiro). Mas Neymar também deixou o dele e manteve sua equipe totalmente viva para a partida da volta, no Parque dos Príncipes, que só foi acontecer no início deste mês (dia 10). O PSG venceu por 2 a 0, com um dos gols marcados por Neymar, e garantiu passagem às quartas de final (3 a 2 no placar agregado).

Foi então que a equipe parisiense se deparou com a equipe sensação da temporada: o Atalanta, da Itália. A equipe comandada por Gian Piero Gasperini mostrou que era tudo isso o que falavam e deu o maior sufoco para o Paris Saint-Germain. A equipe italiana abriu o placar com Mario Pasalic no primeiro tempo e segurou a vitória até os 44 minutos do segundo tempo: no abafa final, Neymar errou uma finalização dentro da área, mas acabou servindo Marquinhos, que mandou pro fundo da rede. E pouco depois do empate, já nos acréscimos, Neymar voltou a aparecer de forma decisiva, desta vez dando lindo passe para Mbappé nas costas da zaga. O francês saiu cara a cara com o goleiro e serviu Chuppo-Moting, melhor posicionado, para decretar a virada.

O Paris Saint-Germain estava de volta à uma semifinal, o que só havia acontecido uma vez, na temporada 2009/10, ainda antes de Nasser Al Khelaifi assumir a presidência. Possivelmente já estava de ótimo tamanho para o chefão do PSG, mas certamente não para Neymar e o restante do elenco. A equipe parisiense simplesmente atropelou o “jovem” RB Leipzig por 3 a 0 na semifinal e, pela primeira vez, está em uma decisão da Liga dos Campeões.

Agora é tudo ou nada!?

Finalmente, após uma longa trajetória nesta temporada, o Paris Saint-Germain está na grande final da Liga dos Campeões, onde enfrenta o gigante da Baviera, o Bayern de Munique. A partida que define a melhor equipe da Europa na temporada 2019/20 acontece no próximo domingo (23), às 14 horas, com transmissão da TNT em TV Fechada e do Esporte Interativo via Facebook.

Logo em sua primeira final de Liga dos Campeões, o PSG enfrenta o “rolo compressor” do Bayern de Munique, que chega para disputar a final da competição pela 11ª vez em sua história. Alguns de seus jogadores, inclusive, como Manuel Neuer e Thomas Müller, já venceram a competição europeia com a equipe Bávara, na temporada 2012/13, que confirmou a 5ª conquista do Bayern de Munique na Liga dos Campeões naquela oportunidade. Trata-se de uma equipe completa, quase imbatível (não perde há 29 partidas oficiais, tendo vencido as últimas 20), que sem dúvida alguma representa o maior desafio do Paris Saint-Germain na competição e em toda a temporada.

Sendo assim, é evidente que a equipe parisiense, comandada pelo alemão Thomas Tuchel, terá de estar em seu melhor nível, tanto ofensiva como defensivamente, se quiser erguer a “orelhuda” pela primeira vez em sua história. No entanto, é importante lembrar que o PSG possui um sistema ofensivo muito qualificado, que computa 136 gols na temporada, em 48 partidas disputadas (média de quase 3 gols por partida).

Além disso, o ataque é comandado pelo craque brasileiro, Neymar, que deve estar ansioso para fazer um grande jogo, faturar o título e, quem sabe, o prêmio de melhor jogador do mundo na temporada. Por tudo aquilo que apresentou até aqui, o camisa 10 do PSG e da Seleção Brasileira já tem boas chances de conquistar o prêmio individual, independentemente do título europeu. O único que aparenta ter chances de desbancar o brasileiro como melhor jogador do mundo é exatamente o atacante do seu próximo adversário, Robert Lewandowski, do Bayern de Munique. O polonês é artilheiro isolado da Liga dos Campeões e conta com uma lista extensa de 55 gols marcados em 46 jogos para ir em busca do prêmio.

Além disso, o ataque é comandado pelo craque brasileiro, Neymar, que deve estar ansioso para fazer um grande jogo, faturar o título e, quem sabe, o prêmio de melhor jogador do mundo na temporada. Por tudo aquilo que apresentou até aqui, o camisa 10 do PSG e da Seleção Brasileira já tem boas chances de conquistar o prêmio individual, independentemente do título europeu. O único que aparenta ter chances de desbancar o brasileiro como melhor jogador do mundo é exatamente o atacante do seu próximo adversário, Robert Lewandowski, do Bayern de Munique. O polonês é artilheiro isolado da Liga dos Campeões e conta com uma lista extensa de 55 gols marcados em 46 jogos para ir em busca do prêmio.

Acesse apostas esportivas no site do Betmotion.

Além disso, confira, também, a nossa página betmotionbr no Instagram, com bônus, dicas e promoções.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *