Início » Colunas » Coluna do Verchai » EL Clasico esquenta a Supercopa da Espanha

EL Clasico esquenta a Supercopa da Espanha

Fernando Verchai

Em novo formato, semifinal da Supercopa da Espanha reserva primeiro Barça x Real da história disputado na Arábia Saudita.

Vinicius Junior já foi protagonista de vitória do Real no El Clásico (Foto: Helios de La Rubia/site do Real Madrid)

Nesta quarta-feira (12), às 16 horas (de Brasília), com transmissão da ESPN Brasil para a TV fechada, Barcelona e Real Madrid se enfrentam em partida única e decisiva pela semifinal da Supercopa da Espanha, que vai ser disputada no King Fahd Stadium, na Arábia Saudita pela primeira vez na história de “El Clasico”. Na outra semifinal, a ser disputada no mesmo local às 16 horas (de Brasília) de quinta-feira (13), também com transmissão dos canais Disney pela TV fechada (e da ESPN pelo “Star+” em streaming), o Atlético de Madrid enfrenta o Athletic Bilbao. Assim, o campeão da Copa do Rei 2020/21, Barcelona, enfrenta o vice-campeão de La Liga 2020/21, Real Madrid, e o atual campeão de La Liga, Atlético de Madrid, enfrenta o vice-campeão da Copa do Rei 2020/21, Athletic Bilbao. Tradicionalmente disputada na Espanha, no início da temporada, em partida única entre o campeão de La Liga e o vencedor da Copa do Rei, a Supercopa da Espanha veio se reformulando nos últimos anos. Graças a uma ideia do presidente da Federação Espanhola de Futebol, Luis Rubiales, a competição foi aprimorada para um modelo de Final 4, ou seja, com quatro equipes, agregando, assim, os vice-campeões de La Liga e da Copa do Rei da temporada anterior para a disputa de uma semifinal antes da decisão. Além disso, para ter um retorno financeiro ainda maior e dar mais visibilidade ao torneio, Luis Rubiales firmou um acordo com o governo árabe para que a Supercopa da Espanha seja disputada nas Arábias até 2029, com expectativa de lucrar até 2 bilhões de reais com o contrato (dinheiro que deve ser reinvestido no futebol espanhol). O acordo, porém, dependeu de um ajuste no calendário, uma vez que o início da temporada europeia se dá no período de verão da Arábia Saudita. Por esta razão, a Supercopa da Espanha, que antes era responsável por abrir oficialmente a temporada na Espanha, agora passa a ser disputada em janeiro, em meio as disputas de La Liga e da Copa do Rei.

Em momentos opostos, Barcelona e Real Madrid fazem clássico inédito na Arábia Saudita

O maior clássico espanhol e um dos maiores do mundo vai atrair a atenção da Espanha, das Arábias e de todo o mundo nesta quarta-feira, pela semifinal da Supercopa da Espanha. Apesar de chegar para o duelo como o atual campeão da Copa do Rei, o Barcelona passa, provavelmente, pelo pior momento do século. Depois de ter se recolocado entre os maiores clubes do mundo com Rivaldo e companhia, Ronaldinho Gaúcho e companhia e, na sequência, com Lionel Messi e companhia, o Barcelona se vê sem craque e busca juntar os cacos depois de uma crise que devastou seu elenco. O momento é tão crítico que Sergio Agüero, que seria o principal astro do Barça nesta temporada, teve de anunciar a aposentadoria mais cedo depois de passar por problemas cardíacos. E a situação só não ficou pior porque medalhões como Gerard Piqué, Jordi Alba e Sergio Busquets aceitaram uma redução de salário enorme no início da temporada para seguir no clube. Agora, sob o comando de Xavi Hernández, um ídolo que ainda é inexperiente no cargo de técnico, o Barcelona tenta se reencontrar com um time recheado de garotos vindos das categorias de base. Como resultado, o Barcelona deixou a Liga dos Campeões ainda na fase de grupos, alcançando uma vaga para a fase de 1/16 avos de final da Liga Europa, e ocupa apenas a 6ª posição de La Liga, com distância de 17 pontos para o seu principal rival e atual líder, Real Madrid. Vale lembrar que, assim como o Barcelona, o Real passou por um momento complicado com a saída de seu principal jogador, Cristiano Ronaldo, algumas temporadas atrás. Tanto é que conquistou apenas a Supercopa da Espanha na temporada 2018/19 e nada além do Campeonato Espanhol, no maior sufoco, na temporada seguinte, ficando sem levantar um único título na temporada passada. No entanto, a reconstrução do Real Madrid se deu, desde o princípio, de forma bem mais sutil que a do seu rival catalão. Agora, ainda com jogadores multicampeões como a trinca de meio de campo, formada por Casemiro, Toni Kroos e Luka Modric, além do artilheiro Karim Benzema, o Real Madrid se lança para um novo momento com jovens que estão se destacando e se incorporando ao clube, como o zagueiro Éder Militão e o meia uruguaio Fede Valverde, ambos de 23 anos, e os atacantes Vinícius Júnior e Rodrygo, ambos de 21 anos. Tudo isso torna evidente a razão de o Real Madrid ser amplo favorito para vencer o Barcelona nesta semifinal e avançar à final da Supercopa da Espanha rumo ao 12ª título da competição.

Em má fase no Campeonato Espanhol, Atlético de Madrid busca segundo título da Supercopa da Espanha na era Simeone. Azarão, Athletic Bilbao busca o terceiro dos últimos 10 anos

Se o Real Madrid é tido como favorito em um clássico gigantesco contra o seu maior rival, Barcelona, o que dizer do clássico dos atléticos? Exatamente, o oposto. É possível afirmar que o time de Diego Simeone é favorito para avançar sobre a equipe que está sob o comando de Marcelino Toral desde a temporada 2019/20? Sim. Mas o técnico do time basco tem tantos títulos da Supercopa da Espanha quanto o técnico do time da capital, e em um espaço de tempo bem menor. Diego Simeone levantou o seu único título da competição no ano de 2014, e Marcelino Toral chega para esta semifinal como atual campeão com o Athletic Bilbao, tendo batido a dupla Real Madrid (na semi) e Barcelona (na final). O Athletic se destaca pelo equilíbrio defensivo que apresenta, sendo, atualmente, o segundo time menos vazado do Campeonato Espanhol, apesar de ser apenas o 9ª na tabela de classificação. O Atlético de Madrid, por sua vez, vem na contramão do que apresentou nos anos de glória de Diego Simeone, pois está longe de ter uma defesa equilibrada, mas ostenta o segundo melhor ataque do Campeonato Espanhol neste momento, sendo o 4º colocado. Portanto, é certo que, apesar da ânsia que o técnico argentino e seus comandados estão de chegar na decisão desta Supercopa e levantar o título no final, a dificuldade vai ser grande já nesta semifinal, diante do Athletic Bilbao, que busca o bicampeonato e está invicto a três partidas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.