Início » Colunas » Coluna do Verchai » Atlético Mineiro encaminha vaga na final da Copa do Brasil

Atlético Mineiro encaminha vaga na final da Copa do Brasil

Fernando Verchai

Com goleada por 4 a 0 sobre o Fortaleza no Mineirão, Atlético Mineiro encaminha vaga na final da Copa do Brasil e aumenta a expectativa por títulos.

estádio do mineirão com fogos

Estádio do Mineirão viu exibição de gala do Atlético Mineiro, provável finalista da Copa do Brasil (Divulgação/Atlético)

Nesta quarta-feira (20) foram disputadas as duas partidas da semifinal da Copa do Brasil, mas apenas um time colocou um pé e meio na grande decisão da competição que garante prêmio milionário e dá vaga direta na próxima edição da Copa Libertadores da América, a principal competição de clubes do continente. Este time foi o Atlético Mineiro. O Galo pode ter decepcionado os torcedores por cair para o atual campeão continental, Palmeiras, na semifinal da Libertadores deste ano, mas é importante ressaltar que o time comandado por Abel Ferreira precisou se valer da regra do gol marcado fora de casa para avançar, e deu a “sorte” de ver o artilheiro do Atlético, Hulk, perder um pênalti na partida de ida, que aconteceu no Allianz Parque. Tudo isso, porém, já está no passado. O presente é bem mais animador para os torcedores alvinegros de Minas Gerais. Na primeira partida da semifinal da Copa do Brasil os comandados de Cuca mostraram que o sonho não está perdido, mas, muito pelo contrário, está cada vez mais próximo de se tornar realidade. O Atlético Mineiro fez investimentos milionários no início desta temporada e deixou os torcedores com a expectativa de comemorar muitos títulos nesta temporada, e até por isso a queda na Libertadores, depois de classificações sobre Boca Juniors e River Plate, não foi agradável. No entanto, é preciso considerar que o Galo tem vantagem de 10 pontos para o vice-líder no Campeonato Brasileiro e caminha a passos largos para acabar com uma seca que já dura 50 anos na principal competição nacional. Como se não bastasse, mesmo tendo disputado apenas a primeira partida da semifinal, o Atlético Mineiro já colocou praticamente os dois pés na decisão. Isso porque o Galo recebeu o Fortaleza no Mineirão pela partida de ida da semifinal da Copa do Brasil e transformou o Leão do Pici em “Gatinho”, como mostrou Mario Alberto em uma de suas charges publicadas em seu blog no “GE”.

Análise da partida:

O Fortaleza chegou para a primeira partida da semifinal motivado pela ótima campanha, a melhor de toda a sua história na Série A do Campeonato Brasileiro, onde ocupa a 4ª posição da tabela e está vivíssimo na luta por uma vaga inédita (direta ou, pelo menos, indireta) na próxima Libertadores, somando 13 vitórias em 27 rodadas disputadas até aqui. A equipe muito bem comandada pelo argentino Juan Pablo Vojvoda vinha de duas vitórias consecutivas no Brasileirão e não teve medo de manter a postura aguerrida que o fez chegar aonde está mesmo em se tratando de uma semifinal contra o “Galo forte e vingador”, que pode ser considerado com tranquilidade o time mais forte do Brasil na atualidade (até porque lidera o Brasileirão com 10 pontos de vantagem para o vice-líder, o atual bicampeão Flamengo, o que não é pouco). A parte do forte já está explicada, a parte do vingador pode-se dizer da eliminação amarga do São Paulo, diante do Fortaleza, nas quartas de final, que começou com um empate por 2 a 2 no Morumbi depois de duas falhas do goleiro Tiago Volpi nos minutos finais do jogo. A vingança do Galo também pode ser pelo CRB, que havia tirado o Palmeiras na 3ª fase e queria fazer história avançando até as quartas de final, ou por todas as outras vítimas do Fortaleza na temporada. Fato é que o Fortaleza pagou por todos os seus pecados no Mineirão na última quarta-feira (20). O passeio do Galo diante de sua torcida começou com um gol de arrepiar do lateral-esquerdo Guilherme Arana, em pancada, um míssil, de muito longe, que o goleiro Felipe Alves acompanhou apenas com os olhos, e viu a bola entrar no ângulo. O time de Cuca não deu tempo de reação para os comandados de Vojvoda, se manteve no ataque, pressionando, e aumentou o placar para 3 a 0 ainda no primeiro tempo: Réver fez o segundo de cabeça, em cobrança de escanteio de Keno, e Hulk também deixou o dele após um contra-ataque de manual. O Fortaleza voltou do intervalo visivelmente abatido e tomou o 4 a 0 logo no primeiro minuto do segundo tempo, em mais um golaço, desta vez de Zaracho, que aproveitou corte mal feito por Felipe Alves e aproveitou a sobra na entrada da área para tocar por cima do goleiro. O Fortaleza não conseguiu reagir, mas segurou o resultado, evitando que o prejuízo fosse ainda maior, apesar de que dificilmente (para não dizer impossivelmente) vai conseguir devolver os 4 a 0 na partida de volta, na Arena Castelão.

Athletico Paranaense e Flamengo empatam em jogaço na Arena da Baixada e levam a decisão para o Maracanã

Na outra semifinal, em um duelo de rubro-negros, o Rubro-Negro Carioca saiu na frente logo nos primeiros minutos do jogo, mas não assustou o Rubro-Negro Paranaense em sua casa. Os visitantes saíram na frente em um vacilo da defesa do Furacão após levantamento na área, e Thiago Maia apareceu livre na área para tocar na saída do goleiro Santos e deixar o Flamengo em vantagem. Os comandados de Renato Portaluppi conseguiram ditar o ritmo do jogo durante a maior parte do primeiro tempo, mas faltou intensidade e um pouco de criatividade para furar o bloqueio defensivo do Athletico, que à partir dos 30 minutos passou a ser mais presente no campo de ataque. Depois daquela provável dura do técnico Alberto Valentim no intervalo, o Furacão voltou para o segundo tempo mais ligado e não demorou para deixar tudo igual no placar: em cobrança de escanteio do uruguaio David Terans, Pedro Henrique subiu sozinho para testar pro gol. Minutos mais tarde, em descida pelo lado esquerdo do ataque, Abner Vinícius cruzou na medida para Renato Kayzer fazer o gol da virada do Athletico. Só que o Flamengo partiu para o abafa nos minutos finais do jogo e, graças a uma engrossada do zagueiro Lucas Fasson, que tinha acabado de entrar no lugar do colombiano Nicolás Hernández, substituído por desgaste, e deu uma braçada em Rodrigo Caio na área, o Flamengo chegou ao empate com Pedro em cobrança de pênalti. Com o 2 a 2 e sem a regra do gol fora como critério de desempate, o confronto segue aberto para a partida de volta, no Maracanã.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.