Presidente da Ferj estuda retomada do Campeonato Carioca

Fernando Verchai
Fernando Verchai

Campeonato Carioca será retomado.

Fernando Pacheco e Evanilson fizeram os gols da vitória do Fluminense sobre o Vasco no clássico carioca do Maracanã (Foto: Lucas Merçon/reprodução do Twitter Fluminense)

Inicialmente, quando a pandemia do coronavírus chegou ao Brasil, a Federação de Futebol do Rio de Janeiro (Ferj) suspendeu o Campeonato Carioca por quinze dias. Pouco mais de uma semana depois, porém, com a evolução do vírus pelo território brasileiro, a competição foi e está suspensa até o fim deste mês (30/04). Outros onze torneios estaduais foram cancelados pela Ferj, incluindo a Copa Rio, que acontece no segundo semestre de cada ano. Por conta disso, muitos clubes do Rio de Janeiro (com exceção dos quatro grandes) ficaram sem uma fonte de renda para o restante do ano, o que torna o Campeonato Carioca Séria A fundamental para eles.

Na segunda-feira (06) o blog “10 e Faixa ou Não” ouviu os representantes dos times de menor investimento do Rio e o discurso foi praticamente o mesmo. As palavras do gestor de futebol do Boavista (finalista da Taça Guanabara), João Paulo, resumem bem o sentimento destes clubes: “Eu tenho quarenta atletas e trinta membros de comissão técnica que precisam trabalhar. Os estaduais são fundamentais para a existência desses empregos, fora que o estadual é o maior garimpo de atletas do Brasil”. Isso significa que os clubes de menor capacidade financeira do estado precisam da competição para existir. Por conta disso, os clubes pressionaram e o presidente da Ferj enviou um pedido à TV Globo, para que efetue o pagamento da última parcela dos direitos televisivos, a fim de que os clubes possam arcar com os prejuízos da paralisação. Em nota oficial divulgada logo após reunião com representantes dos clubes que disputam o Carioca,  a Federação de Futebol do Rio de Janeiro se comprometeu a encerrar a competição na forma do regulamento (isto é, com o encerramento das duas rodadas que faltam, além das semifinais e final). Também foi definido que a competição poderá ser finalizada em qualquer data, retornando assim que receber orientação positiva dos órgãos de saúde.

Nesta sexta-feira (10) haverá nova reunião para reavaliar a situação da competição. Na terça-feira (07), porém, o presidente da Ferj, Ruben Lopes, concedeu entrevista à ESPN.com.br e tirou algumas dúvidas. Lopes afirmou que “independentemente do momento que venham ser permitidas as partidas”, entende ser “mais prudente reiniciar com portões fechados”. O presidente da entidade também garantiu que a hipótese de encerrar o Campeonato Carioca sem as definições de campeão e rebaixados está descartada.

Nesta quarta-feira (08), Vitor Birne, comentarista dos canais ESPN, publicou em seu blog que a Federação de Futebol do Rio de Janeiro pretende recomeçar o campeonato estadual em maio. De acordo com as informações publicadas, a entidade deve comprar testes de rápida detecção da Covid-19 para que os atletas sejam examinados antes das partidas, que serão com portões fechados à torcida.

Campeonato Carioca antes da paralisação

Depois de ter conquistado o título da Taça Guanabara diante do Boavista, na final, o Flamengo manteve o ritmo nos primeiros jogos da Taça Rio. Com vitórias sobre Cabofriense (4 a 1), Botafogo (3 a 0) e Portuguesa (2 a 1) no último jogo antes da paralisação, o rubro-negro já disparou na liderança do grupo A, com três pontos de vantagem em relação ao Boavista (segundo colocado). Praticamente classificado, o Flamengo ainda tem jogos contra o Bangu (fora de casa) e contra o Boavista, no Maracanã, pela última rodada da fase de grupos. Caso o Flamengo conquiste o título da Taça Rio, automaticamente será declarado o campeão do Campeonato Carioca 2020. Até aqui, o único dos quatro grandes do Rio que ameaçou o título do Flamengo foi o Fluminense. O tricolor não só venceu o time sub-23 do rubro-negro pela fase de grupos da Taça Guanabara como quase aprontou diante dos titulares de Jorge Jesus na semifinal, o que só não se concretizou porque o Fluminense teve dois gols anulados (por impedimentos bem marcados). Na terceira rodada da Taça Rio, o Fluminense segue 100% ao lado do Flamengo, com três vitórias nas três primeiras rodadas. A última vitória foi diante do Vasco, em um Maracanã vazio.

Vasco e Botafogo tentam se recuperar

Depois de ter decepcionado ao não passar da fase de grupos da Taça Guanabara (primeiro turno do Carioca), o Botafogo trocou de técnico (saiu Alberto Valentim e chegou Paulo Autuori) e investiu na contratação de Honda para o restante da temporada. A equipe apresentou uma melhora, venceu a primeira rodada da Taça Guanabara e a partida de ida da 3ª fase da Copa do Brasil, mas voltou a cair. Depois de perder por 3 a 0 do Flamengo, o Botafogo chegou a sair na frente do Bangu última partida antes da paralisação do estadual, com gol de pênalti de Honda, mas perdeu o ritmo no segundo tempo e acabou sofrendo o empate. O resultado manteve o alvinegro na quarta colocação do grupo A, com quatro pontos, atrás de Flamengo (1º), Boavista (2º) e Bangu (3º). Durante a suspensão das competições, o Botafogo tentou negociar a chegada de Yaya Touré, que não evoluiu. Agora, o alvinegro está disposto a investir em Obi Mikel (volante ex-Chelsea). Em entrevista à ESPN norte-americana, o nigeriano de 32 anos confirmou a negociação, mas se mostrou indeciso: “Sim, houve interesse e sim, houve negociações, mas ainda não sei. Ainda estou pensando nisso” disse Mikel.

O Vasco, por sua vez, beira a lanterna do grupo B, na Taça Rio (segundo turno do Carioca). O time até então comandado por Abel Braga não chegou às semifinais da Taça Guanabara e terminou a Taça Rio (paralisada na terceira rodada) na penúltima colocação, com apenas dois pontos somados. A campanha ruim, somado a uma derrota por 2 a 0 para o Fluminense na partida anterior à paralisação, custaram o cargo de Abel. Para o seu lugar o Vasco tinha o desejo de um treinador que pudesse fazer algo parecido com o que conseguiu Vanderlei Luxemburgo no ano passado. Nomes como o de Thiago Larghi, ex-treinador do Atlético Mineiro, foram especulados pela imprensa, mas a aposta vascaína foi em Ramon Menezes, que fez sucesso como jogador na Cruzeiro e, inclusive, jogou por cinco anos pelo Vasco da Gama. Como treinador, Ramon foi auxiliar no Joinville desde a sua aposentadoria como jogador, em 2013. Em seu primeiro ano como treinador, comandou o ASEEV na campanha que garantiu o título da 3ª divisão do Campeonato Goiano de 2015. Em 2018 liderou a Tombense no Campeonato Mineiro, terminando na quinta colocação e caindo nas quartas de final para o Tupi nas penalidades. No mesmo ano, terminou o Campeonato Brasileiro Série C no meio da tabela do grupo B e não se classificou para o “mata-mata”. É certo que Ramon Menezes conhece bem o futebol e, como jogador, está acostumado com os campeonatos do mais alto nível, mas esta será sua primeira vez no comando de uma grande equipe.

Acesse apostas esportivas no site do Betmotion.

Além disso, confira, também, a nossa seção de Análises e Palpites.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *