Liga da Bielorrússia chega à quarta rodada e dificilmente será paralisada

Fernando Verchai
Fernando Verchai

Liga da Bielorrússia chega à quarta rodada.

(Imagem: reprodução)

A Vysshaya Liga (Liga Especial Bielorrussa) iniciou em março e seu encerramento deve acontecer no fim de novembro ou início de dezembro. Até aqui foram disputadas três das trinta rodadas e nada está saindo como esperado. O Transfermarkt.pt (site que analisa o valores de mercado) tem o BATE Borisov como o time mais valioso da Bielorrússia, ou seja, com os jogadores mais bem avaliados do país. O atual campeão, Dinamo Brest, está como o segundo mais valioso (valor de mercado avaliado em dez milhões de euros), seguido de perto pelo Shakhtyor (avaliado em pouco mais de nove milhões de euros). Exatos três milhões de euros menos valioso, na quarta colocação do Transfermarkt.pt está o Dinamo Minsk. No entanto, apesar do grande favoritismo desses clubes (em especial os três primeiros), quem lidera a competição com cem por cento de aproveitamento (três vitórias em três jogos) é um outro clube da capital, o Energetik-BGU Minsk. O atual líder da Vysshaya Liga venceu o BATE por 3 a 1 logo na primeira rodada e segue forte na competição. Seu próximo jogo será neste sábado, às dez horas da manhã, fora de casa, diante do Torpedo Zhodino (sexto colocado na tabela de classificação). O time do meia brasileiro Gabriel Ramos (camisa 10 do Torpedo) aprontou pra cima do Shakhtyor na primeira rodada (com gol de Gabriel) e manteve o ritmo na partida seguinte, vencendo o Belshina em casa com outro 1 a 0. Em seu último jogo, porém, foi derrotado fora de casa pelo Dinamo Minsk, pelo placar de 2 a 0. Mesmo assim, até mesmo por jogar em casa, o Torpedo Zhodino é tido como favorito para o jogo. No Betmotion.com cada um dólar apostado em sua vitória duplica o valor investido (retorno de 2,05), enquanto uma aposta em vitória do líder (BGU Minsk) triplifica a quantia (retorno de 3,20). Para se ter uma ideia, o BGU Minsk é visto no Transfermarkt.pt como o quarto menos valioso da Liga (valor de mercado de pouco mais de três milhões de euros). Apesar disso, por aquilo que tem mostrado dentro de campo, o BGU Minsk tem boas chances de seguir invicto na competição.

Nesta sexta-feira, ás 13 horas, abrindo a quarta rodada, o Belshina entra em campo diante do Neman buscando somar o(s) primeiro(s) ponto(s) na competição e, quem sabe, deixar a última colocação da tabela. Apesar de ser uma das poucas equipes que já conquistou o título da Liga Especial Bielorrussa, o Belshina acabou de retornar à competição e é um time desacreditado, que já deixou clara sua apatia nos primeiros jogos. Do outro lado, jogando em casa, o Neman Grodno está mais adaptado à elite do futebol bielorrusso na atualidade e é tido como favorito (retorno de quase dois para cada um dólar apostado no Betmotion).

Conhecendo a Vysshaya Liga

A Vysshaya Liga é a Liga Especial ou Primeira Divisão da Bielorrussia (mais atualmente chamada de Belarus). Antes disputada apenas entre doze clubes, a Vysshaya Liga agora possui dezesseis clubes, que lutam ponto a ponto, durante trinta rodadas, pelo título nacional. A competição existe desde 1992 e foi dominada pelo Dinamo Minsk nos primeiros anos, até que, em 1998, o Dnepr Mogilev (que agora joga na divisão inferior) acabou com o domínio do time da capital (Minsk). No ano seguinte, o BATE, da cidade de Borisov, conquistou o primeiro título da história do clube (fundado em 1973) e iniciou sua evolução nacional.  Em 2001 o Belshina chegou a conquistar a principal competição da Bielorrússia, mas o BATE voltou a vencer no ano seguinte. O Dinamo Minsk chegou a vencer novamente a Vysshaya Liga em 2004, logo depois de o FK Gomel (que agora joga na divisão inferior) também ter levado um troféu para casa, em 2003. Em 2005 foi a vez do Shakhtyor vencer a Liga Especial Bielorrussa, mas, à partir de 2006, o BATE estabeleceu um domínio completo dentro da competição. O time de Borisov venceu o título nacional por treze anos consecutivos (chegando a um total de quinze troféus), tendo sido o primeiro da Bielorrussia a disputar a fase de grupos da Liga dos Campeões, na temporada 2008/09 e também em 2011/12 e 2014/15. Mas em 2019, depois de muitos anos ficando com o vice, o Dinamo Brest surpreendeu a todos com apenas uma derrota em trinta rodadas e ficou com o título. O “novo” gigante da Bielorrussia já vinha evoluindo há alguns anos, depois de uma reformulação que iniciou em 2016, e disputará as qualificatórias da Liga dos Campeões (2020/21) pela primeira vez em sua história.

Nada de suspensão ou adiamento de futebol na Bielorrússia

A pandemia do coronavírus afeta todo o mundo de diversas maneiras. Desde a superlotação de hospitais até os rombos econômicos causados em praticamente todos os países, a disseminação do novo vírus obrigou o mundo a desacelerar. Em todos os cantos do mundo as pessoas estão vivendo confinadas dentro de suas casas e aquelas que tem de sair para manter o essencial funcionando são obrigadas a seguir uma série de precauções para evitar a contaminação do Covid-19 (abreviatura do inglês “Coronavirus Disease 2019”).  No entanto, na Bielorrússia (ou Belarus) não é bem assim. O presidente Aleksander Lukashenko minimizou a situação, entendendo que o mais perigoso não é o vírus em si, mas a “psicose” (em suas palavras) que ele gerou. Por conta disso, não quis saber de adotar o isolamento social como forma de prevenção, manteve as cidades funcionando normalmente e iniciou o principal campeonato de futebol do país em meio à pandemia (no dia dezenove de março). Quando a Vysshaya Liga começou o país registrava cerca de oitenta pessoas infectadas com a Covid-19, sem nenhuma morte. Agora, três semanas depois, o número de infectados já subiu para mais de um mil, com algumas mortes confirmadas. Mesmo assim, o futebol continua e a tendência é de que a competição seja mantida, ainda que as partidas passem a ser disputadas sem a presença de torcedores. Isso porque, como as competições mais tradicionais foram suspensas, a Vysshaya Liga chamou a atenção dos fãs de esporte e seus direitos de transmissão foram comprados pela Rússia, Ucrânia, Israel e outros países. Ao todo foram dez novos contratos de televisão e a Bielorrussia deve aproveitar o momento para encher os cofres. Com o dinheiro sendo investido na competição, a Vysshaya Liga pode iniciar o próximo ano em um novo patamar dentro do mundo do futebol.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *