Grêmio e Internacional fazem clássico gaúcho inédito na Libertadores da América

Fernando Verchai
Fernando Verchai

A expectativa de um grande jogo

Nesta quinta-feira (12/03), às 21 horas, Grêmio e Internacional se enfrentam pela primeira vez na Libertadores, em 111 anos de história do clássico. A partida que será disputada na Arena do Grêmio é válida pela segunda rodada da fase de grupos da competição sul-americana. Na primeira rodada, o Grêmio venceu o América de Cali fora de casa (na Colômbia), por 2 a 0, e o Internacional, para não ficar por baixo, aplicou 3 a 0 sobre a Universidad Católica jogando ao lado de sua torcida, no Beira-Rio. O placar elástico garantiu a liderança do grupo E ao Internacional, mas, como soma os mesmos três pontos do Grêmio, é a partida desta quinta-feira que determinará quem definitivamente larga na frente. Ambos os times gaúchos chegam para o duelo vivendo um bom momento. De um lado, o Internacional chega de classificação sobre Universidad de Chile e Tolima na fase qualificatória da competição, além do 3 a 0 na estreia, o que dá confiança ao elenco. No entanto, a última derrota do colorado, seis jogos atrás, foi exatamente diante do Grêmio, em pleno Beira-Rio, pela semifinal do Campeonato Gaúcho. É verdade que o tricolor perdeu para o Caxias na final do primeiro turno da competição estadual, mas, desde então, vive sequência de três vitórias consecutivas. O Internacional, por sua vez, fez cinco jogos desde a derrota para o Grêmio, tendo empatado duas e vencido três. O colorado não tem tido muita sorte diante do rival nos últimos anos, mas este seria o melhor momento para uma reviravolta, que certamente será buscada com afinco pelos jogadores do Inter. Do outro lado, os comandados de Renato Gaúcho tentam manter uma invencibilidade que já dura seis jogos. A última vez que o Internacional venceu o clássico foi em setembro de 2018, pela 24ª rodada do Campeonato Brasileiro. Desde então foram três vitórias do Grêmio e outros três empates.

Como chega o Grêmio para o clássico?

Em se tratando de jogadores, o tricolor gaúcho terá praticamente todo o elenco à disposição de Renato Portaluppi para o clássico. Walter Kannemann, que sofreu lesão e não entra em campo desde o dia 30 de janeiro, já se recuperou de uma cirurgia no dedo do pé esquerdo e voltou na semana passada a treinar com bola. O zagueiro argentino chegou a participar de um treinamento mais forte com o restante do elenco na segunda-feira, mas acabou recebendo uma pancada no pé direito, deixou o gramado e não apareceu no treinamento de terça-feira. Apesar disso, Renato Gaúcho afirmou que somente tomará uma decisão sobre o time principal após conversar com Kannemann e os demais atletas. Um deles é Jean Pyerre. O meia de 21 anos voltou a atuar com a camisa do Grêmio no domingo passado, entrando no segundo tempo em partida contra o Pelotas, depois de ter ficado mais de cinco meses sem jogar. Apesar do retorno, Jean Pyerre foi descartado por Renato Gaúcho do clássico desta quinta-feira, assim como Thiago Neves. “O Thiago se encontra um pouco longe da melhor forma física e técnica, e a mesma coisa o Jean. E a gente precisa de todo mundo inteiro” afirmou o treinador gremista em entrevista coletiva. O único jogador que conseguiu se recuperar de um problema físico e deve ser titular no clássico é Pedro Geromel. O capitão do tricolor gaúcho sentiu dores na coxa direita e foi substituído na estreia diante do América de Cali, mas voltou a treinar normalmente no final de semana. Portanto, a probabilidade é de que Renato Gaúcho entre em campo com a mesma equipe que iniciou a partida de estreia da Libertadores: com Vanderlei (goleiro), Victor Ferraz (lateral-direito), Pedro Geromel (zagueiro central), David Braz (quarto zagueiro) e Caio Henrique (lateral-esquerdo); Lucas Silva (volante), Maicon (volante) e Matheus Henrique (volante); Everton “Cebolinha” (ponta), Diego Souza (atacante) e Alisson (ponta).

Como chega o Internacional para o clássico?

Pelo lado colorado não há qualquer problema no elenco. Todos os jogadores estão à disposição Eduardo Coudet para o jogo desta quinta-feira, às 21 horas. No último domingo, em partida válida pela segunda rodada (do segundo turno) do Campeonato Gaúcho, o treinador argentino optou por ir com uma equipe alternativa a campo e, mesmo assim, venceu por 2 a 0 com tranquilidade. Aproveitando-se disso, Coudet afirmou que ainda não definiu sua equipe titular: “Todos têm chance de começar (jogando), não há um nome particular. Podemos encontrar três, quatro nomes que iniciaram (no) domingo” disse o treinador colorado em entrevista coletiva. Apesar do mistério, a expectativa é de que o Internacional vá com o mesmo time que foi a campo na vitória por 3 a 0 sobre a Universidad Católica: com Marcelo Lomba (goleiro), Rodinei (lateral-direito), Bruno Fuchs (zagueiro central), Víctor Cuesta (quarto zagueiro) e Uendel (lateral-esquerdo); Damián Musto (volante), Edenílson (segundo volante), Marcos Guilherme (meia) e Boschilia (meia); Thiago Galhardo (atacante) e Paolo Guerrero (atacante). A grande dúvida gira em torno do argentino Andrés D’Alessandro. O camisa 10 colorado jogou os 90 minutos da partida de domingo, pelo estadual, e pode ser peça fundamental para uma partida da magnitude de um Gre-Nal. O meia pode ficar com a vaga de Thiago Galhardo ou mesmo de Marcos Guilherme. Se quiser inovar, Eduardo Coudet também pode optar por Rodrigo Lindoso ao lado de Musto e Edenílson para formar um trio de meio de campo mais forte defensivamente.

Importância do Gre-Nal para a sequência da Libertadores

O Grêmio é visto como favorito para vencer o primeiro clássico gaúcho de uma Libertadores, mas o equilíbrio que é esperado para a partida faz com que uma aposta no tricolor dobre o valor investido (o retorno é de 2,12 para cada dólar apostado no Betmotion). Visto como a zebra do confronto, até mesmo por jogar fora de casa, uma aposta no Internacional é consideravelmente lucrativa (3,85 para cada dólar apostado no Betmotion).

É evidente que a partida não é uma grande decisão, uma vez que Grêmio e Internacional dividem a liderança do grupo E da Libertadores com três pontos cada, mas vencer um clássico é sempre importante para aumentar a confiança dos jogadores. No entanto, a importância da vitória pesa um pouco mais para o lado colorado. Isso porque, além de o Internacional não vencer o clássico há seis jogos, uma derrota colocaria deixaria o colorado com os mesmos três pontos do América de Cali, que venceu a Universidad Católica na terça-feira. Com isso, a partida da terceira rodada, contra o time colombiano, que está marcada para acontecer na próxima quarta-feira, seria praticamente uma decisão antecipada para o Inter.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *