Campeonatos Gaúcho e Mineiro chegam às finais

Fernando Verchai
Fernando Verchai

Grêmio vence Caxias fora e se aproxima do título estadual.

No primeiro turno do Gauchão, o Caxias surpreendeu na fase de grupos, ficando na liderança do grupo B, e ainda bateu o Grêmio na final. Foi a conquista do 1º turno que garantiu a equipe de Caxias do Sul na final do estadual, pois a equipe comandada por Rafael dos Santos Lacerda não conseguiu manter o ritmo na sequência da competição, terminando fora do mata-mata do 2º turno, que foi de domínio do Grêmio. Os comandados de Renato Portaluppi lideraram o grupo B e conquistaram o 2º turno do Campeonato Gaúcho de forma invicta, batendo o Internacional de Eduardo Coudet na final, por 2 a 0. Liderado dentro de campo pelo artilheiro da competição, Diego Souza, com 8 gols marcados na competição, o tricolor gaúcho chegou para a grande decisão estadual carregando amplo favoritismo. Mesmo com o camisa 9 fora por lesão, o Grêmio conseguiu se adaptar a novos movimentos ofensivos com Isaque (um atacante “flutuante”, bem diferente do centroavante Diego Souza). Um exemplo disso foi o gol que abriu o placar da primeira partida da final do Campeonato Gaúcho disputado na quarta-feira (26), no Estádio Centenário de Caxias do Sul. Partindo da ponta direita para o meio, Isaque fez jogada com Maicon na intermediária antes de servir Pêpê dentro da área, o qual apareceu como um centroavante para dominar com a esquerda e, de direita, mandar pro fundo da rede. O gol veio logo aos 7 minutos da partida contra o Caxias e serviu para dar certa tranquilidade ao Grêmio, que vinha tendo dificuldade para ir às redes sem a presença de Diego Souza. Mas a boa equipe do Caxias não desanimou. Mesmo com alguns desfalques ofensivos para a decisão, a equipe da casa não foi presa fácil para o Grêmio. Vanderlei salvou o tricolor gaúcho em belo chute de Ivan, ainda no primeiro tempo, e o Caxias só não empatou na volta do intervalo porque o gol de Bruno Ré, em cobrança de falta de Ivan, foi invalidado por impedimento do zagueiro, que só foi constatado pelo VAR. Houve até certa dúvida sobre o toque ou não de Bruno Ré na bola, mas o fato é que o jogador interferiu no lance e estava em condição irregular.

Alguns minutos mais tarde, aos 33’ da etapa final, Éverton (recém-contratado junto ao São Paulo) aproveitou sobra na entrada da área, após cobrança de escanteio, e acertou um belo chute de “sem-pulo”, na “gaveta”. Foi o primeiro gol do atacante com a camisa do Grêmio, que vai para a partida da volta, em Porto Alegre, na Arena, neste domingo (26), às 16 horas, podendo até perder por 1 gol de diferença para conquistar o tricampeonato gaúcho. Já o Caxias, que vai ter de se superar mais do que nunca se quiser desbancar o atual bicampeão, sonha com o que seria apenas seu 2º título estadual. Nas palavras de Renato Portaluppi após a primeira partida: “(o) Caxias continua tendo nosso respeito e vamos continuar tendo dificuldade”.

No Campeonato Mineiro, o Atlético de Jorge Sampaoli venceu no sufoco

Diferentemente do Campeonato Gaúcho, o Mineiro é disputado em pontos corridos na 1ª fase, em um único turno, e os 4 primeiros colocados avançam às semifinais. Líder da primeira fase, o Tombense passou pelo Caldense (4º colocado) com 2 vitórias na semifinal. Já o Atlético Mineiro, que terminou em 3º na tabela de classificação da 1ª fase, enfrentou o América (2º) nas semifinais e, também com 2 vitórias, avançou para a decisão, que teve início nesta quarta-feira (26). O atraso se deu por conta da pandemia, que demorou um pouco mais para afetar os estados de Minas Gerais e do Rio Grande do Sul (entre outros) em larga escala. E no primeiro jogo da decisão, com mando do Atlético (apesar de que as duas partidas acontecerem no Mineirão), quem saiu na frente foi o Tombense, mas só no segundo tempo. Na etapa inicial, as equipes pouco fizeram. As melhores oportunidades foram pelo lado do galo, em cobrança de falta de Hyoran e em pancada de Guilherme Arana de fora da área, ambas muito bem defendidas pelo goleiro do Tombense, Felipe Garcia. Mas foi só depois do intervalo que a partida realmente esquentou. A equipe de Jorge Sampaoli se lançou com tudo ao ataque, desde os primeiros minutos, mas parou em Felipe nos chutes de Guga e Arana (de novo ele) de fora da área, além de Marquinhos, que também viu o goleiro mandar pela linha de fundo sua cabeçada “à queima roupa”, da entrada da pequena área. Pouco depois, porém, em cruzamento que terminou nas mãos do goleiro Rafael, o paraguaio Júnior Alonso derrubou o artilheiro Rubens na área, o mesmo que cobrou a penalidade anotada pelo juiz e colocou o Tombense na frente do galo. Mas a resposta do Atlético foi imediata: assim que a bola voltou a rolar, Júnior Alonso, autor da penalidade, arriscou de fora da área e contou com um “quique” (da bola) para enganar Felipe, que depois de tantas boas defesas acabou entregando a paçoca, dando rebote para Eduardo Sasha marcar o primeiro dele pelo galo. O Tombense chegou muito perto de voltar a estar na frente do placar em cobrança de falta levantada na área aos 36’ do segundo tempo, mas foi a vez do goleiro do Atlético se destacar, fazendo duas grandes defesas para manter o empate. Só que a partida não terminou empatada, pois no último minuto dos acréscimos, aos 52’, Keno bateu cruzado e contou com desvio na defesa para encontrar o caminho das redes, garantindo a vitória do galo por 1 a 0. O jogo da volta acontece no domingo (30), às 16 horas, mais uma vez no Estádio do Mineirão. Com o resultado da primeira partida, um empate basta para que a equipe de Jorge Sampa conquiste o 45º título estadual e siga isolado como maior campeão mineiro.

Acesse apostas esportivas no site do Betmotion.

Além disso, confira, também, a nossa página betmotionbr no Instagram, com bônus, dicas e promoções.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *