Saiba o que esperar do UFC 200, o maior da história

ufc200

Os fãs do MMA já estão contando as horas para o maior evento da história do esporte. O UFC 200 será realizado neste sábado (09/07), na T-Mobile Arena, em Las Vegas. Ao todo estão programadas 12 lutas e três disputas por cinturão – entre Daniel Cormier e Jon Jones (meio-pesados); Miesha Tate e Amanda Nunes (peso-galo); e José Aldo e Frankie Edgar (peso-pena interino).

Com essa edição, a organização espera quebrar o recorde de outro evento icônico, o UFC 100, realizado em 2009. Na época, foram vendidos 1,6 milhões de pacotes de pay per view – maior número até hoje. Dos 24 lutadores escalados no 200, apenas três estiveram no 100: Jon Jones, Jim Miller e Brock Lesnar.

Cards

Além das lutas citadas acima, o Card principal terá as disputas entre Brock Lesnar e Mark Hunt, e Cain Velasquez e Travis Browne. No preliminar, enfrentarão-se Cat Zingano e Julianna Peña; Johny Hendricks e Kelvin Gastelum;

TJ Dillashaw e Raphael Assunção; Sage Northcutt e Enrique Marin; Joe Lauzon e Diego Sanchez; Gegard Mousasi e Thiago Marreta; e Jim Miller e Takanori Gomi.

Perfis das lutas

Para não ser pego de surpresa no UFC 200, veja abaixo o que esperar das lutas que valem o cinturão, de acordo com informações do site oficial da organização.

Daniel Cormier x Jon Jones – Todos estão esperando por esta luta desde que Cormier conquistou o título vago com uma finalização no terceiro round sobre Anthony Johnson, no UFC 187. Neste dia, ele olhou para a câmera e mandou um recado direto para o homem que possuía o cinturão: “Jon Jones, dê um jeito na sua vida! Eu estarei esperando por você!”.

“DC” parece ter crescido após a derrota para Jones no UFC 182, e permaneceu no topo após verdadeiras batalhas contra Anthony Johnson e Alexander Gustafsson. Lembrando que ele lutou de igual para igual nos últimos assaltos do primeiro duelo com Jones.

Este, por sua vez, é o homem que a maioria dos fãs aponta como o melhor do esporte atualmente. Jones tem um currículo incomparável, que inclui uma sequência de cinco vitórias seguidas sobre ex-campeões em uma janela de 17 meses, e uma série de 13 triunfos consecutivos no total. Em um esporte no qual “ninguém é invencível”, a única derrota dele foi em uma polêmica desqualificação contra Matt Hammil.

Miesha Tate x Amanda Nunes – Após a vitória conquistada a duras penas sobre Holly Holm em março, que lhe garantiu o cinturão peso-galo, Miesha defende seu título pela primeira vez em uma luta mais difícil do que as pessoas imaginam contra Amanda Nunes.

A obstinada campeã esteve em grande forma em suas três últimas lutas, e tem cinco vitórias consecutivas no octógono, mostrando evolução na trocação, e a capacidade de lidar com qualquer dificuldade, o que foi essencial na emocionante vitória sobre Holly há três meses.

Já Nunes chegou à sua terceira vitória seguida ao vencer Valentina Shevchenko por decisão unânime. Enquanto todos pareciam prestar atenção no gás da brasileira, e em sua tendência a cair de produção no decorrer da luta, poucos estão falando do poder de decidir lutas que Amanda tem nas mãos. Se ela conectar o golpe certo, o peso-galo poderá ter uma nova campeã.

Jose Aldo x Frankie Edgar – Essa é uma disputa pelo título interino, mas ainda assim tem toda a capacidade de ser a melhor luta do ano. Aldo volta à ação pela primeira vez desde a perda do título para McGregor em dezembro. A derrota em 13 segundos encerrou uma sequência invicta de 18 lutas em 10 anos para o atleta da Nova União, e parece ter acendido uma nova chama dentro do brasileiro, que prometeu retomar seu estilo agressivo de antes do UFC quando pisar no octógono no próximo sábado.

Edgar tem se sentido injustiçado nos últimos dois anos, e descontou essa frustração em uma impressionante lista de vítimas nesse período. Apesar de ter sido campeão dos leves, este talvez seja o melhor Frankie Edgar já visto dentro do octógono, combinando as motivações de vingar sua derrota para Aldo e se consolidar no topo da divisão. Não seria uma surpresa ver mais uma performance impressionante de Edgar.

 

Fontes:

http://www.ufc.com.br/

http://espn.uol.com.br/